Avançar para o conteúdo principal

O bebé nasceu... Yeahhh!! Acabaram as consultas da mãe!!!

Durante a gravidez, são algumas vezes aquelas em que vamos ao médico para ver como o nosso bebé se está a desenvolver. Fazemos análises ao sangue e algumas ecografias. Se a nossa gravidez for considerada de risco por algum motivo, estas visitas ao senhor doutor serão mais algumas mas tudo pela melhor razão do mundo. Entretanto passam-se as 40 semanas (mais dias menos dias, conforme a gravidez), o nosso bebé nasce e pensamos... "Ufa! Acabaram-se as idas ao médico e finalmente vou poder ter paz e sossego!".

Pois... Mas não é com o parto que termina a vigilância da mãe... Entre as 4 e 6 semanas após o parto, devemos regressar ao consultório do nosso ginecologista/obstetra para fazermos a consulta de revisão do pós-parto ou consulta do puerpério. O puerpério corresponde ao "período de 6 a 8 semanas pós-parto durante o qual o corpo sofre uma série de alterações para retornar ao estado pré-gravidez" (Fonte: Mãe me quer - O que é o puerpério?). A data da realização da consulta de revisão do pós-parto depende do tipo de parto que a mãe teve: se tiver sido parto normal, a consulta ocorre entre as 4 e as 6 semanas, sendo que se tiver sido por cesariana esta consulta ocorrerá entre as 6 e as 8 semanas após o parto (Fonte: Mãe me quer - Consulta de revisão após o parto). Sendo breve, nesta consulta será realizado um exame pelo médico para verificar se a recuperação do parto está a decorrer como esperado para o tipo de parto realizado, serão abordadas algumas questões sobre o método contraceptivo a utilizar nesta fase bem como serão esclarecidas algumas questões relacionadas com a chegada do bebé e a forma como está a decorrer o pós-parto e a nova realidade familiar. No entanto, nem todos os profissionais de saúde incluem nesta consulta a avaliação de uma componente muito importante para a nossa recuperação no pós-parto e estou a falar da avaliação da diástase abdominal, que surge fruto da distensão que os músculos abdominais sofrem durante a gravidez com o aumento da barriga durante 9 meses. Uma boa recuperação dos músculos abdominais no pós-parto passa pela realização de abdominais hipopressivos, que podem ser realizados logo desde o parto, e que irão contribuir para que os músculos abdominais regressem ao seu estado pré-gravidez.

No meu pós-parto, e para além da consulta do puerpério, realizei igualmente uma consulta para avaliação dos músculos abdominais e pavimento pélvico. Se existem algumas mulheres que, após o parto não regressam para a consulta de revisão do pós-parto, muitas mais serão aquelas que não realizam uma avaliação deste tipo com um fisioterapeuta especialista em saúde da mulher e que será fundamental para a recuperação do nosso corpo numa fase em que ainda estamos a passar por profundas alterações e em que as hormonas começam a espreitar e em que podem ter um efeito que não desejamos... Na sequência do post escrito em conjunto com a Estefania Garcia sobre a dor pélvica que pode surgir durante a gravidez e formas de a tratar, desafiei-a novamente a falar-nos um pouco do que deve ser esta avaliação no pós-parto e de como ela é importante para a prevenção de problemas futuros.

Muito obrigada, Estefania, por mais esta preciosa colaboração aqui no Happy Mom descomplicada!


A IMPORTANCIA DA RECUPERAÇÃO NO PÓS PARTO

Durante a gravidez, os músculos abdominais e do pavimento pélvico distendem e alteram a sua biomecânica e fisiologia, facilitando o aparecimento de disfunções do sistema urinário e/ou ginecológico, trazendo consigo, muitas vezes, sentimentos de vergonha e desconforto, levando a que muitas  mulheres não procurem ajuda. 

A principal causa destas alterações resulta do aumento da pressão intra-abdominal e da fraqueza dos músculos do pavimento pélvico, que se situam na zona inferior da bacia e podem conduzir a:

  • prolapsos uterinos,
  • sensação de peso vaginal,
  • desconforto,
  • obstipação,
  • incontinência urinária, 
  • falta de firmeza vaginal durante as relações sexuais, entre outros…

Hoje existem técnicas específicas e globais para tratar estas disfunções que devem ser diagnosticadas e tratadas de forma correta com o objetivo de manter uma boa função fisiológica.

Com a intervenção da Fisioterapia pode-se actuar-se de uma forma preventiva sobre a saúde do sistema urogenital, uma vez que a mulher sofre alterações na sua zona abdominal e genital com a gravidez, o parto, após qualquer cirurgia ginecológica, durante a prática de exercício e na menopausa.

Se já sentiu algum destes problemas ou gostava de avaliar o seu pavimento pélvico ou, simplesmente tem alguma preocupação relacionada com este tema, entre em contato com um fisioterapeuta especializado.

Estefania Garcia
Fisioterapeuta especialista em Saúde da Mulher

Caso pretendam saber mais sobre abdominais hipopressivos, deixo-vos aqui o link para a página da Estefania no Facebook Abdominais Hipopressivos Portugal.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

Natal guloso do baby boy

Todos nós sabemos que, nesta quadra, abundam os doces e os docinhos nas mais diversas formas e com crianças pequenas devemos ter alguns cuidados especiais quanto à alimentação. No livro "Deixe-os comer terra", de Brett Finlay e Marie-Claire Arrieta (de que já vos falei neste post sobre vacinas e neste post sobre o desmistificar do contacto das crianças com os micróbios no dia-a-dia), os autores recomendam que se mantenha o açúcar dado às crianças numa quantidade mínima pois "um bebé guloso vai, provavelmente, tornar-se uma criança gulosa", para além de que "quanto menos açúcares refinados o bebé ingerir, melhor, tanto para ele como para os biliões de micróbios que se deleitam com tudo o que termina na barriguinha dele". 
Desde que introduzi a alimentação complementar ao meu pequeno pirata, agora com 19 meses, que a preocupação com alimentos açucarados ou demasiado processados tem sido constante. Sinal disso, foram os livros que vieram viver cá para casa:…