Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2017

Diz-me, Happy Mom... Quem lês tu neste mundo virtual?

Sem nenhuma dúvida que a Internet encerra em si uma imensidão de recursos sobre os mais variados temas. Seja sobre maternidade, culinária, engenharia aerospacial ou a história do Império Romano, passando pela complexa teoria das cordas... Podemos encontrar de tudo um pouco nas nossas pesquisas. Haja tempo e paciência e a obtenção de informação está mais do que garantida!

E o mundo dos blogs não é uma excepção... Lia, por estes dias, no livro "Ser Blogger" de Carolina Afonso e Sandra Alvarez que em Portugal e por dia, 1,8 milhões de pessoas visitam com frequência este tipo de plataforma em busca de informação sobre um produto, uma marca ou determinado assunto. Se isto se passa no nosso cantinho à beira-mar plantado, imaginem a quantidade de acessos que existem a nível mundial a blogs e as óptimas ferramentas que eles podem ser para a nossa busca de informação.
Depois de ter escrito esta semana sobre três locais online onde podem ser encontrados livros sobre Montessori e de t…

Dentes de leão cuidam-se desde cedo!

Quando somos mães, principalmente de primeira viagem, as dúvidas parecem surgir-nos a cada respiração do nosso bebé. Será que comeu pouco? Será que comeu de mais? Será que tem frio? Será que tem calor? Tem sono? Está com dor? E muitas outras perguntas podia eu colocar aqui...
O primeiro ano de vida, dizem-nos os médicos, é um dos mais fulcrais para a saúde dos nossos pequenos pestinhas, com todos os cuidados e estado de alerta dos pais em permanente turbilhão! E é aqui que entram os dentinhos... Apesar dos nossos pequenos não nascerem logo com uma dentição forte de leão e os dentes só aparecerem um pouco mais tarde, os cuidados devem iniciar-se desde cedo para garantir a melhor saúde para eles. Como estou muito longe de perceber de dentes mais do que o que todos os comuns dos mortais sabem, pedi ajuda à Sara Luís, especialista em Odontopediatria, para me dar uma ajuda a escrever o primeiro de vários posts sobre a saúde dos dentes dos mais pequenos. Obrigada pela colaboração! A Sara p…

Livros sobre Montessori: onde encontrar?

Esta semana publiquei uma foto na página do Facebook do blog com três livros sobre Montessori e a forma de adaptar ao nosso dia-a-dia, publicação que agora aqui partilho.


No seguimento desta publicação, recebi algumas questões sobre onde adquiri estes livros e surgiu-me a ideia de escrever um post sobre possibilidades de locais para adquirir livros sobre Montessori, que não pretendo que seja exaustivo mas que seja um pequeno ponto de partida para as vossas leituras. Espero que gostem!
WOOK
Confesso que  a maior parte dos livros que adquiro online faço-o através da Wook. Todas as encomendas costumam correr muito bem, mesmo com aqueles livros mais difíceis de arranjar e que têm de ser pedidos às respectivas editoras. Fazendo uma pesquisa por Montessori no site, aparecem-nos (à data de hoje) 611 resultados (livros e eBooks), surgindo logo em destaque o livro "Educar com o coração", que partilhei na minha foto, da Cristina Tébar que escreve no blog Montessori en casa. A oferta d…

As fraldas têm mesmo de ser descartáveis?

Há uns bons anos atrás, a utilização de fraldas descartáveis estava muito longe de ser tão comum como nos dias de hoje e as fraldas que eram utilizadas eram de pano. Passado uns anos e bastando numa ida ao supermercado, consegue-se compreender que as fraldas descartáveis estão mais do que instaladas no nosso mercado, sendo a opção da maior parte dos pais. No entanto, nem todos seguem esta via. Sabendo disso e sabendo que a opção por fraldas reutilizáveis poderá estar no horizonte de futuras mamãs, pensei em pedir ajuda à Gi Morais para escrever este post, em que descreve a sua experiência de utilização de fraldas reutilizáveis e como escolheu esta opção. Espero que gostem e obrigada, Gi Morais, pela ajuda na escrita deste post!

FRALDAS REUTILIZÁVEIS: UMA BOA OPÇÃO PARA OS NOSSOS BEBÉS


Por aqui, a ideia de usar fraldas de pano foi surgindo dia após dia de experiência de fraldas descartáveis. Num mês, testamos 8 marcas inclusive linhas brancas e nada resultava no rabo da miúda. Nunca asso…

Descobertas em família: o mar

Há medida que os mais pequenos vão crescendo, as oportunidades de poder fazer mais actividades fora de casa vão surgindo. Desde os passeios em família ou à escolha de actividades disponíveis para os mais pequenos, o leque de opções é muito variado e o limite é mesmo a nossa imaginação. Desde cedo que cá por casa os passeios têm sido uma constante. Ter filhotes não é sinónimo de deixarmos de ir aos sítios de que tanto gostamos e, por isso, o baby boy já fez alguns bons quilómetros de passeios com os pais. E já fez a sua primeira visita a um local que faz as delícias de miúdos e graúdos,  o Oceanário de Lisboa. Na altura da visita, tinha apenas nove meses mas, contra todas as nossas expectativas de pais, gostou bastante e esteve sempre muito atento a todos os movimentos dos peixes e animais, principalmenteos do aquário central (provavelmente por serem aqueles de maiores dimensões). Se há duas coisas que deixam o baby boy cá de casa sempre muito atento são animais e música. Vê-se nos s…

Uma foto tirada com o coração...

Mãe ou pai destes tempos têm os seus telemóveis preenchidos com fotos dos seus mais pequenos. Guardam-se memórias dos mais diversos momentos, logo desde a maternidade. 
Um sorriso. O dar de mamar. A primeira roupinha. O primeiro passeio em família. O primeiro banho. Os primeiros passos... Tudo para que possamos entrar no modo mais lamechas do mundo e para que possamos ir partilhando com os nossos como o nosso bebé está a crescer.
Eu não sou excepção... Andava eu ontem a espreitar as fotos que tinha guardadas e encontrei esta, dos primeiros meses do meu baby boy. É uma das que mais gosto, de pormenor, da sua mão de pequeno reizinho a dormir.
Sou apaixonada por esta pequena mão desde que a senti pela primeira vez na minha. Aliás, desde que a vi pela primeira vez em ecografia. O toque desta mão lembra-me todos os dias porque quis ser mãe e mostra-me que tomei a melhor decisão da minha vida.
E eu estarei sempre aqui para caminhar lado a lado com esta mão mostrando que os sonhos se concretizam…

Brinquedos... Que brinquedos?

Brinquedos... Esse mundo imenso e colorido em que podemos perder o rumo, qualquer que seja a idade da criança...
Acho que raro deve ser o pai ou a mãe que não se perde quando entra numa loja de brinquedos. As ofertas são mais do que variadas, coloridas, musicais e atractivas e acaba sempre por ser uma tarefa mais ou menos complicada escolher qual o brinquedo a levar para casa. Ou somos realmente muito focados e entramos na loja com um objectivo muito bem definido ou facilmente nos afastamos do que íamos buscar e acabamos por levar para a caixa para pagar um qualquer outro brinquedo. Nos dias de hoje, as opções são mais do que variadas e temos à nossa disposição diferentes tipos de brinquedos, em diferentes tipos de materiais, para oferecermos aos nossos filhos e ajudarmos no seu desenvolvimento.
Olhando para as prateleiras, a maior oferta é de brinquedos de plástico, muito coloridos, mas que acabam por perder uma parte muito importante: a de serem feitos por materiais de diferentes …

Planner freak... Ou de como sou viciada em checklists!

Planner freak. Obsessiva-compulsiva qb. Viciada confessa em checklists para tudo e para nada.Esta é a Happy Mom que aqui vos escreve. Desde cedo que as actividades e projectos a que me entreguei me impuseram, ainda numa fase muito longe de ser mãe, a necessidade de ser metódica o mais possível para conseguir não deixar nada por fazer. Ai longo dos anos, tenho adoptado diferentes métodos de organização das minhas tarefas e dos meus dias e tenho a admitir que a forma em papel acaba por ser sempre aquela que funciona melhor comigo. Sou adepta das tecnologias, é uma verdade, mas sou também uma viciada/apaixonada em caderninhos e canetas coloridas. Quando começo poe experimentar esta ou aquela app ou ferramenta digital para organização do dia-a-dia, acabo sempre por abandoná-la e voltar ao velhinho papel de sempre. Por estes dias, li uma publicação da página do Facebook Ana Páris - Assistência Virtual em que de falava sobre bullet journal. Basicamente, este bullet journal passa por ter um …

Os meninos podem ser cientistas. Já as meninas...

Talvez um dos assuntos que mais de fale esta semana relacionado com o regresso às aulas é o dos cadernos de actividades para meninas e para meninos publicados pela Porto Editora. Basicamente, tratam-se de dois cadernos para a mesma faixa etária, mas distintos por género, em que as actividades do cadernos para meninos possuem uma complexidade bem superior ao do caderno para meninas. Para além de, nestes mesmos cadernos de actividades, os meninos poderem ser cientistas mas as meninas se limitarem ajudar a mãe na cozinha a fazer uma sandes para o lanche...Bem, numa sociedade e numa época em que, cada vez mais, há tantas e tantas mulheres com provas mais do que dadas nos mais diversos campos, custa-me que uma editora a quem reconhecia alguma qualidade aprove, edite e publique cadernos de actividades tão carregados de preconceito relacionado com o género. Que seja capaz de promover tanta distinção entre meninos e meninas ainda em formação e que irão acreditar que é assim a realidade. Tal c…

Daquelas que pensamos que não nos acontecem...

Quando se vê a desejada risquinha cor-de-rosa no teste de gravidez, é inevitável começar a imaginar como vão ser os meses seguintes até à chegada do nosso bebé.  Fazem-se planos, idealiza-se o dia de parto, escolhe-se o nome do nosso filho e começam as primeiras compras de roupinhas e para a decoração do quarto. Pensa-se também,  de forma inevitável,  nas várias consultas e ecografias que iremos fazer, temos já pavor à prova de glicose e ao líquido horrivel que se tem de beber para saber se temos ou não diabetes gestacional mas tudo aquilo que imaginamos é que tudo decorrerá como uma gravidez de filme.
Mas a realidade, por vezes, não é assim tão nossa amiga, troca-nos as voltas e mostra-nos que não se deve idealizar demasiado pois as coisas nem sempre podem correr da forma que esperamos...
Sem qualquer tipo de lamentação ou de negativismo, a minha gravidez não foi fácil.  Já havia falado por aqui em tempos de todo o acompanhamento em Endocrinologia que tive para a diabetes gestaciona…

Anda comigo ver os aviões ...!

O vosso marido chega a casa com uma surpresa: "Querida, bilhetes de avião para todos! É só preparar tudo e amanhã estamos a caminho do aeroporto para umas férias de sonho!". A nossa primeira reacção de mulher super apaixonada é  "Tenho o melhor marido do mundo!" logo vindo ao de cima a obsessivo-compulsiva que se esconde dentro de nós : "Mas temos um bebé pequeno... O que fazer para viajar com ele?".
Pois bem... O post de hoje é escrito a quatro mãos (sim, porque aqui a Happy Mom quando não sabe muito do assunto vai pesquisar e falar com os seus amigos que percebem mais do assunto!). Já viajei com o baby boy tinha ele apenas três meses e bem me recordo da aventura que foi guardar tudo o que era necessário para mim, o pai e o bebé para duas semanas em duas malas de viagem. Se, em matéria de fazer a mala, não podemos ter grande ajuda pois vai muito do local para onde vamos, idade da criança, época do ano, duração da viagem, entre outras coisas... No que t…

Restaurantes... Ou de como ter um filho não devia mudar tudo!

Tempo de férias.  Um dia de sol convida a passeios junto ao mar e a comer algo que ele nos dê.  O que se quer é peixe fresco, marisco e petiscos vários. A uma velocidade bem mais baixa do que nos dias de trabalho. O ar traz-nos o cheiro do mar, da praia. Parece que tudo nos convida a relaxar, a ficarmos mais tranquilos... Até à hora de encontrar um restaurante para almoçar... Podem dizer-me assim: "ah é tempo de férias e por isso tornar-se muito mais difícil de conseguir um qualquer recanto para trincar um pão com manteiga e depenicar uma sardinha grelhada no carvão ". Não necessariamente... Até porque este sentimento que aqui vos descrevo já não vem deste fim-de-semana. Há já muito tempo que fico com a sensação de que a nossa sociedade não quer que pais de crianças pequenas frequentem certos lugares. Parece-me que o divertirmo-nos ou continuar a fazer coisas que fazíamos enquanto apenas casal nos estão agora totalmente vedadas porque incomodamos por ter um bebé e um carrin…

É uma amizade construída desde o início

Os primeiros 12 meses da criança, como já toda a gente nos disse, podem ser dos mais determinantes a todos os níveis. Alimentação, comportamento, rotinas (as possíveis)... Enfim, uma imensidão de aspectos que garantidamente irão estar na origem como o nosso bebé se relaciona com o mundo e as pessoas à volta dele. Quando fui à consulta dos seis meses com o meu filho, achei muito curiosa uma recomendação que o pediatra fez: "coloquem livros à disposição dele. Permitam-lhe tocar nas páginas. Ver cores e texturas". Eu, uma apaixonada confessa por livros, fiquei assim meio sem saber o que dizer... Mas depois descobri que existem livros para os mais pequeninos a partir dos seis meses. São pincelados de cor e de texturas diferentes para despertar o interesse dos mais pequeninos, sendo as opções muito variadas. Por aqui, optamos por objectos do dia a dia, desde a hora de dormir a objectos relacionados com a alimentação, o vestir ou o brincar. Começamos por ter o bebé sentado no col…

Felicidade é tão pouco!

Muitas vezes deambulamos pelos dias e ficamos com aquela sensação de que apenas sobrevivemos e não pudemos vivemos verdadeiramente. Mais cedo ou mais tarde, acabamos por cair naquela terrível rotina de fazermos sempre a mesma coisa. Seguir sempre pelos mesmos caminhos, comer sempre as mesmas comidas, escolher sempre as mesmas roupas.Há as rotinas menos boas, que nos consomem as energias e que nos limitam o querer e o pensamento. E depois existem aquelas rotinas boas, que nos carregam as baterias e nos enchem o coração e que não podemos, de forma alguma, remeter para o canto do nosso pensamento e dos nossos dias.Hoje retomei uma daquelas boas rotinas e que andava afastada de mim há uns dois anos, por causa da gravidez. Hoje voltei a correr e sinto-me bem. Muito bem e com uma energia que sinto espelhada no rosto.Felicidade é isto! Vivam as boas rotinas!

Conhecem a alegre Paula?

Quando se fala de miúdos e de desenhos animados, a grande maioria das pessoas pensa logo em canais como o Panda, Disney Channel, Baby TV ou Baby First, muitas vezes remetendo para o esquecimento aquilo que por cá existe de bom.Já espreitaram o Zig Zag, o programa para os mais pequenos da RTP2? Dá em dois períodos da programação deste canal, de manhã a partir das 7h e de tarde, e têm daqueles desenhos animados à antiga. Nada de PJ Masks ou coisas afins. Por aqui há desenhos animados com boas mensagens, sem super heróis do imaginário e gosto em particular de um deles pela mensagem positiva que carrega para os mais pequenos.Conhecem a Paula? A Paula é uma pequena menina de 6 anos que vive com a mãe, a avó e o irmão. Os pais são separados (quantos meninos hoje em dia não vivem esta realidade de perto?) e tem outra particularidade. A Paula tem Síndrome de Down ou Trissomia 21. Estes desenhos animados mostram o dia-a-dia desta menina dócil com vontade de conhecer o mundo, que passa por dúvi…

Nós somos as nossas raízes

15 de Agosto.Hoje seria o teu dia de anos.
Hoje seria dia de festa e o dia de irmos à festa em família.
Hoje seria o dia de estarmos juntas e de partilharmos histórias.Por estes dias, iríamos almoçar a Monsaraz onde gostavas tanto de ir e de onde tenho tão boas memórias.Foi contigo que aprendi a gostar de brincar com a terra e a não ter medo dos animais.
Foste tu que me deste algumas das melhores férias de verão.
Foste tu que contribuíste para algumas das melhores recordações da minha infância.
Eras tu que me deixava explorar tudo sem medos me incentivava sempre a procurar mais.
E acho que foi de ti e da minha mãe que herdei a minha mania de querer tudo no lugar.Partiste aos meus 15 anos e tantas coisas te ficaram por contar e mostrar. Tantos momentos e conquistas que não pudeste testemunhar.Tens hoje um bisneto que, ainda não foi a Monsaraz, mas irá para um dia lhe contar quem foi a bisavó dele. E sabias que ele dança quando ouve o cantar alentejano?Parabéns, Avó...

Colo, apego, toque... Hoje e sempre!

Imagem de Academia de Parentalidade Consciente
Se existe assunto que não gera consenso e em que as opiniões são mais do que muitas é isto a que se dá o nome pomposo de parentalidade. Todos têm a sua receita infalível de como serem os melhores pais. Parece-nos sempre que a casa dos nossos amigos deve ser o céu no que às crianças diz respeito. O nosso filho parece ser sempre mais terrorista do que os demais. E quando se fala de comidas e de sonos... Ui então aí começa a desenrolar-se uma longa lista de queixas, de truques e de mezinhas que tornam as crianças as mais bem comportadas do mundo... Ou então não!
Durante a gravidez (e talvez por ela ter sido um pouco mais complicada do que eu poderia esperar...), acabei por não ler tanto como gostaria. Apenas depois do bebé nascer e já com alguns meses, comecei a ler um pouco mais sobre parentalidade e tudo o que com ela se relaciona. Só mais recentemente, e depois de aderir ao grupo no Facebook Escolas Alternativas, Comunidades de Aprendiza…

O tempo passa a correr!

Há três meses vivia um dia muito intenso, repleto das mais profundas emoções.Há três meses, o meu baby boy completou o meu primeiro aniversário. Meu menino crescido, meu pequeno piratinha à descoberta do mundo.Há três meses atrás, casava-me em segredo celebrando o amor da forma mais pura possível.Todos os dias sou grata por estes momentos e por todos os outros que me unem às pessoas que me acompanham todos dias.Gratidão. Amor. Sentir-me completa. Todos os dias!Foto de 4Memories

Acomodar... A palavras que não gosto no meu dicionário!

Acomodar. Das piores palavras que podemos ter no dicionário dos nossos dias. Quem nunca a sentiu a infiltrar-se nos nossos poros, quase como que goya a gota, pronta para nos roubar a energia e a vontade de fazer diferente? Acomodar é talvez das opções mais confortáveis que se pode tomar em qualquer dos campos da nossa vida. Nas relações. No trabalho. Na escola. Na família. Em tudo. É seguir a vida que conhecemos bem, onde não há espaço para imprevistos. É o caminho mais tranquilo, menos desgastante e em que temos a ilusão de que seremos bem sucedidos. Para algumas pessoas, pode ser a melhor opção de vida. Para mim? É seguir a via em que fechamos a porta à vida e nos recusamos a desfrutar daquilo que ela nos dá. Naquilo em que nos coloca à prova. Todos gostamos de pisar terreno que conhecemos. A raça humana é tramada nesta coisa de mudar por isso acomodar está sempre ali ao virar da esquina pronta para se embrenhar nas nossas vivências e nos toldar o caminho qual nevoeiro que espreita…

E esta semana é da amamentação!

Na Semana Mundial da Amamentação, apenas digo isto: encaremos a situação com a naturalidade que ela tem e, principalmente, sem fundamentalismos ou imposição de opiniões ou de vontades. A amamentação é algo demasiado pessoal. Sempre se amamentou portanto não achemos que se trata de moda dos dias de hoje ou manias de gente esquisita. É natural e deve ser respeitado. Com tolerância a realidade de todos é muito mais fácil!

Eu e trabalhos manuais?! Pois, pois...

Se houve coisa para a qual nunca tive grande jeito foi para trabalho manuais, diy e coisas afins. Não que a curiosidade e a vontade de fazer algo do género não existisse mas, digamos, que nunca corria muito bem e o resultado final ficava sempre um bocadinho aquém do que eu esperava... Mas existe sempre uma primeira vez, não é verdade? Quando comecei a decorar o quarto do baby boy, pensei sempre que gostava de ter um quadro que assinalasse o nascimento dele. Procurei muito na internet, vi muitos locais em que podia comprar algo personalizado para ele mas parecia sempre que faltava qualquer coisa... Até que me enchi de coragem e decidi que já tinha idade suficiente para um diy e meti as mãos na massa! E assim criei o quadro do nascimento do pequeno reizinho cá de casa. E que coloquei eu, perguntam vocês? Pois bem, havia uma coisa que eu queria mesmo que fizesse parte deste quadro: a primeira roupinha que ele vestiu (um babygrow todo bem disposto do Superman comprado na H&M e um gor…