Avançar para o conteúdo principal

Porque o ano não começa só a 1 de Janeiro...

Recomeços. Novos inícios. Momentos de energia renovada.

Esses momentos sabem bem. Sabem muito bem! Permitem-nos olhar para o que temos e para o que desejamos e decidir qual o melhor caminho que temos para percorrer. Não sei como é convosco mas Setembro tem, para mim, sempre um sabor de recomeço. De novidade. De coisas novas e boas que estão para vir! Não sei se será por ser aquele mês que associamos sempre ao regresso à escola, ao início de um novo ano lectivo, mas Setembro é sempre mês de olhar a realidade com baterias recarregadas.

Terminam as férias. Os entardeceres de pés na areia a olhar o sol a deitar-se no mar. Começa a pensar-se na realidade familiar de forma diferente. Voltamos ao trabalho e à escola, consoante a nossa idade (ou até aos dois como é o meu caso!).

Olho para este Setembro com expectativas boas, daquelas que me enchem o coração e que me deixam ver o quanto sou sortuda pela vida que tenho. Pelas pessoas que tenho comigo todos os dias ao meu lado, que me guiam no melhor sentido e que me mostram aquilo que sou capaz e que, tantas vezes, acho que não... Encaro Setembro com um coração grato por caminhar ao lado de alguém que tem orgulho em mim, que me apoia nos meus sonhos e, acima de tudo, acredita em mim!

Setembro vai ser um mês preenchido. Um mês em que irei viver alguns novos desafios e em que irei delinear alguns caminhos para o futuro. Setembro é um mês com os olhos já postos em Dezembro. O mês que espero poder ver finalizada a maior parte de um projecto que tenho em mãos há já três anos: um doutoramento. Desejo também que Setembro seja um mês dedicado ao que a vida me deu de melhor.  Um pequeno ser que, a dois, descobre o mundo todos os dias e nos mostra que a realidade pode ser vista de forma totalmente diferente. E por isso Setembro será um mês dedicado a algo de novo, vivido como família, e que nos permita crescer enquanto pessoas, pais e cuidadores.

E espero também que Setembro (e os meses que se lhe seguirem...) sejam meses bons aqui para este cantinho em que escrevo com tanto carinho. Um cantinho em que partilho as minhas descobertas, as minhas dúvidas e o meu crescimento enquanto mãe. Algo que nunca mais se dissociará de mim e que me mostra ser o melhor papel de que se pode ter na vida!

Boa semana a todos! E bons recomeços!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data. 
Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu?

Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento com cerimón…

Ambiente preparado e Ikea... O quarto dos mais pequenos

Propositadamente, quando escrevi o primeiro post sobre ambiente preparado e Ikea que podem ler aqui, não comecei por escrever sobre o quarto dos mais pequenos. Nos vários grupos de mães que vou acompanhando no Facebook (que não específicos sobre Montessori), a primeira questão que a maioria coloca é onde encontrar a famosa cama casinha para se construir um quarto montessoriano. E é aqui que, talvez, começa por se ter a abordagem menos adequada a Montessori e a aplicarmos esta pedagogia em nossas casas. Primeiro, convém desmistificar que uma cama em forma de casa, ainda que esteja à altura do chão e permita à criança entrar e sair livremente, não é fielmente Montessori. Trata-se de um modelo de cama de inspiração nórdica e que, por acaso, também tem o colchão perto do chão. Está na moda e muitas marcas vendem-se como sendo Montessori mas convém ter presente que este método se caracteriza, acima de tudo, por uma enorme simplicidade na forma como se prepara ao ambiente para a criança. N…

Ambiente preparado e Ikea...Porque não?

Na semana passada publiquei um breve post em que dava algumas sugestões para os quartos dos mais pequenos a partir de peças do Ikea e da Vertbaudet. Numa manhã a caminho do trabalho, fui presenteada com o novo catálogo dessa catedral de decoração que é o Ikea e lancei uma pergunta na página do Facebook que foi muito bem recebida. E que pergunta era essa? Gostariam de ver um post em que juntasse Montessori e o novo catálogo que recebi?  Dada a curiosidade com esta minha ideia, aqui estou eu a colocá-la em prática...
Mas primeiro vamos ver o que é o ambiente preparado pois afinal de contas é esse o título deste post, não é verdade? Para quem conhece a pedagogia Montessori,  o ambiente preparado surge como uma parte fundamental desta pedagogia: o ambiente deverá estar adequado à criança,  seja pela sua idade ou tamanho, e as seus interesses, ao mesmo tempo que promove a sua autonomia, permitindo que se desenvolva ao seu ritmo e sem pressões ou interferência dos adultos.
Apesar de não s…