Avançar para o conteúdo principal

Coração de mãe não merece...

Poderia eu ter escolhido uma frase menos cliché como título deste post? Poder até poderia mas acho que esta é mesmo aquela que melhor caracteriza os meus sentimentos quanto à última semana...

A última semana, em termos de trabalho e de horários, foi a mais cansativa de sempre desde que regressei ao trabalho após a licença parental ter terminado. Acordar muito mais cedo ainda que as galinhas e galos das redondezas, não poder ir levar e buscar o baby boy à escola, tê-lo doente e achar que ficaram miminhos por dar, sentir que ficou atenção por dar ao homem da minha vida... Enfim, foi uma semana de muita correria (demasiada mesmo!) e que me deixou com coração pequenino por sentir que dei pouco aqueles que mais merecem. Fiquei com o coração pequenino por sentir que faltei quando eles precisaram e por sentir que não estive presente neste ou naquele momento em que o baby boy fez qualquer coisa de novo. E tive o dia que mais mexeu comigo em que saí antes do sol nascer, cheguei a casa já à hora de jantar e em que tive tão, mas tão pouco tempo para as brincadeiras e abraços do costume...

Sabem aqueles momentos em que ficamos com o estranho sentimento em falhamos como mães? Em que o sentimento da culpa nos pesa nos ombros e se sobrepõe a todos os outros que nos pudessem encher o coração de luz? Sim, coração de mãe não merece mesmo estas coisas...

Naquele dia mais longo da semana muito pensei em todas as mães e pais que não têm quaisquer alternativas a passar tanto tempo longe dos seus mais pequenos e senti-me afortunada pois, felizmente, estes dias longos em horas longe de casa não são o habitual nos meus dias de trabalho e vou conseguindo, quase todos os dias, levar e buscar o meu filho à escola. E ainda chegar a tempo de o levar ao parque antes de irmos para casa e preencher os seus finais de tarde com muita descoberta e brincadeira. Sei que sou uma afortunada e que me devo sentir grata por poder ter esta disponibilidade na grande maioria dos meus dias. Mas isso não afastou a dor do meu coração e as lágrimas dos meus olhos quando pude ver o meu filho já a brincar no recreio com os mais velhos. Vê-lo assim já tão crescido no final de uma semana em que senti que lhe faltei tanto fez-me quebrar e deixar fugir as lágrimas contidas de saudades do meu pequeno pirata.

Digam-me que estou a exagerar... Digam-me que não tenho razões para isto... Mas coração de mãe não merece... É por isso que, cada vez mais e sempre desde que decidi ser mãe, que a minha prioridade acima de tudo é a família que estou a construir a cada dia por é esse núcleo que merece toda a minha força, energia e pensamento positivo. Sem ele, sou muito mais pequena e fraca.

Porque não quero mais dias destes e não poder pegar na tua mão ao final do dia e levar-te a brincar no parque...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Ambiente preparado e Ikea... O quarto dos mais pequenos

Propositadamente, quando escrevi o primeiro post sobre ambiente preparado e Ikea que podem ler aqui, não comecei por escrever sobre o quarto dos mais pequenos. Nos vários grupos de mães que vou acompanhando no Facebook (que não específicos sobre Montessori), a primeira questão que a maioria coloca é onde encontrar a famosa cama casinha para se construir um quarto montessoriano. E é aqui que, talvez, começa por se ter a abordagem menos adequada a Montessori e a aplicarmos esta pedagogia em nossas casas. Primeiro, convém desmistificar que uma cama em forma de casa, ainda que esteja à altura do chão e permita à criança entrar e sair livremente, não é fielmente Montessori. Trata-se de um modelo de cama de inspiração nórdica e que, por acaso, também tem o colchão perto do chão. Está na moda e muitas marcas vendem-se como sendo Montessori mas convém ter presente que este método se caracteriza, acima de tudo, por uma enorme simplicidade na forma como se prepara ao ambiente para a criança. N…

A começar a incentivar a pintura... das paredes cá de casa!

Durante o fim-de-semana partilhei na página do Facebook do blog, uma foto com as mais recentes aquisições cá de casa destinadas a criar um cantinho de artes para o baby boy. Sim, apesar de estar a comprar estas coisas muito animada ao mesmo tempo já estou a imaginar toda uma decoração nova nas paredes cá de casa. Já estou a imaginar uns dedinhos pintadinhos de verde ou de laranja a deixarem a sua marca nas paredes e no chão, qual Picasso em formação! Aqui ficam algumas das comprinhas...

Adiante que coração de mãe sofre sempre por antecipação e imagina sempre os piores cenários...
Em conversa com a educadora do meu filhote, descobri a marca Giotto, uma marca existente desde 1920, destinada a fazer as maravilhas dos mais pequenos e dos graúdos na altura de desenhar, pintar e colorir o dia com as cores do arco-íris. Os produtos desta marca são os mais variados possível, indo desde aguarelas, lápis de cera e de cor, a maquilhagem, a plasticinas e guaches laváveis. Para além do mais, tem u…

Ambiente preparado e Ikea...Porque não?

Na semana passada publiquei um breve post em que dava algumas sugestões para os quartos dos mais pequenos a partir de peças do Ikea e da Vertbaudet. Numa manhã a caminho do trabalho, fui presenteada com o novo catálogo dessa catedral de decoração que é o Ikea e lancei uma pergunta na página do Facebook que foi muito bem recebida. E que pergunta era essa? Gostariam de ver um post em que juntasse Montessori e o novo catálogo que recebi?  Dada a curiosidade com esta minha ideia, aqui estou eu a colocá-la em prática...
Mas primeiro vamos ver o que é o ambiente preparado pois afinal de contas é esse o título deste post, não é verdade? Para quem conhece a pedagogia Montessori,  o ambiente preparado surge como uma parte fundamental desta pedagogia: o ambiente deverá estar adequado à criança,  seja pela sua idade ou tamanho, e as seus interesses, ao mesmo tempo que promove a sua autonomia, permitindo que se desenvolva ao seu ritmo e sem pressões ou interferência dos adultos.
Apesar de não s…