Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2017

A música resolve tudo!

Vocês estão a ler o título deste post e a pensar... "Olha uma daquelas frases cliché!"... Pronto, pronto... Até pode ser mesmo uma frase cliché, mas o que é certo é que a música tem sobre todos nós o poder de nos fazer companhia nos bons e nos maus momentos. Ora vejamos: é à música mais mexida e alegre que recorremos quando queremos festejar algo, é a música mais lamechas do mundo que colocamos a tocar no jantar romântico com a nossa cara metade, é a música mais carregada de tristeza que nos acompanha nos momentos mais tristes... Nos mais diversos momentos da nossa vida, a música está lá.
Eu sou uma amante confessa dos mais diversos géneros músicas. Por exemplo, desde muito tenra idade que a música clássica entrou na minha vida, num mundo cor-de-rosa de tutus, e nunca mais me deixou. Ainda hoje, muitos são os CD de música clássica que existem lá por casa, principalmente os de Bach que adoro colocar a tocar quando preciso de inspiração para escrever. Nem todas as pessoas gos…

Crescer como adulto preparado

Explorar Montessori é crescer. Não é só a criança que, em cada um dos seus períodos sensíveis, evolui e alcança o patamar seguinte. O adulto que evolui na perspectiva de se tornar um adulto preparado também cresce. E, à sua maneira, também passa pelos seus períodos de crescimento. Ser adulto preparado é ganhar a serenidade necessária para termos a capacidade de não interferir com aquilo que a criança está a fazer. Enquanto adultos, temos de aprender a não interromper, a ter capacidade de termos a tranquilidade a transpirar por todos os poros e, acima de tudo, a sermos capazes de observar com o coração.Desde que comecei a explorar este mundo maravilhoso que é Montessori, tenho repensado diversos aspectos da minha vida. Sempre fui uma pessoa de abraçar diversos projectos ao mesmo tempo. Enquanto não constituí família, a disponibilidade mental era outra e parecia que não sabia dizer que não. Mas engravidei. Fui mãe. E descobri Montessori. Para sermos capazes de educar para a paz, temos d…

Newsletter da Happy Mom: descobrir Montessori

E o mês de Outubro não termina sem mais uma newsletter repleta de sugestões da Happy Mom descomplicada! Esta segunda newsletter é totalmente dedicada a eventos e workshops relacionados com Montessori, de norte a sul do país. Pode encontrar sugestões de diversos workshops bem como de ciclos de trabalho Montessori, especialmente dedicados aos mais pequenos. Nesta newsletter podem encontrar sugestões de Mindful Montessori, Jardim da Descoberta, INGAH - Associação Educativa Humanista, Casa Capaz e Atelier Montessori. Já sabem que, caso tenham alguma sugestão que gostassem que incluísse na newsletter, enviem um email para cronicashappymom@gmail.com.

Observar: muito mais do que apenas olhar!

Enquanto vamos crescendo, parece que vamos perdendo certas capacidades que nos permitiam olhar o mundo com olhos de ver. Não é à toa que Maria Montessori utilizou a expressão "mente absorvente" para se referir aos primeiros anos de vida de uma criança em que ela está totalmente receptiva a observar e a aprender com os olhos. Mas será que nós, enquanto adultos, perdemos essa capacidade de observar?
A correria do dia-a-dia... Os dias que começam muito cedo e com tantas coisas para fazer nas horas que temos por diante: preparar para sair de casa, ir deixar os filhos à escola, trabalho, repetir a passagem pela escola, chegar a casa, preparar jantar, banhos, organizar tarefas para o dia seguinte e só depois é que se consegue cair na cama para retemperar um pouco. Mas, fazendo a retrospectiva do dia... Será que nos dedicamos a observar algo? Fomos capazes de observar o céu o ver o seu azul e a forma das nuvens? Fomos capazes de nos sentar num banco de jardim a observar a dança da…

Como outras pessoas nos fazem pensar... o que é ser bem sucedida?

Li ontem num post da Claúdia Gonçalves Ganhão na sua página do Facebook uma partilha sobre como ter mais sucesso no trabalho do blog Miss Kale. E isto deixou-me a pensar... No post pode ler-se, logo no título, que existem formas de ter mais sucesso sem que isso tenha de implicar trabalhar mais. 
Bem... Aqui começa logo a dar que pensar (e um título bem escrito de um post deve ser mesmo assim!)... Na maior parte das vezes em Portugal associamos o ter sucesso a uma componente material, ausente de um significado mais profundo mas que as pessoas valorizam em demasia. Espera que ter sucesso seja quantificável pela remuneração e as recompensas recebidas no trabalho, sem que isso obrigatoriamente signifique que estamos mais identificados com o trabalho que desenvolvemos ou que sintamos que aquela será a nossa organização para sempre. A necessidade de ter sucesso é intrínseca no homem na sua necessidade de ser reconhecido pelos demais. É importante saberem quem somos e associarem-nos à image…

Descobrir o mundo dos animais com a Kalandraka Editora Portugal

Sou uma apaixonada mais do que confessa por livros de todos os temas e feitios. Sejam livros mais técnicos, por obrigação profissional, a romances, passando por livros que relatem acontecimento históricos e agora com livros mais relacionados com a parentalidade e Montessori... Acho que cá por casa existe de tudo um pouco! A bem da verdade... As estantes do escritório já começam mesmo a ser pequenas para tantos livros que por cá existem...
E é claro que o baby boy não foge a esta paixão da mãe e já vai tendo uns quantos livros só seus... E alguns que apenas irá ler só daqui a algum tempo mas pelos quais eu me apaixonei e não podia deixar de comprar. Ainda esta semana comentava com o pai do meu filhote que já não ia comprar mais livros... Pois... Mas chego à escola do nosso coração e deparo-me com a feira do livro mais linda e inspiradora de sempre com livros da editora Kalandraka Editora Portugal (Site, página do Facebook). Para quem não conhece, esta é uma editora que designa o seu p…

Passatempo "Más maneiras de sermos melhores pais" de Eduardo Sá

Quando descobrimos que vamos ser pais, acho que a nossa tendência é procurar todas e quaisquer fontes que nos ensinem e nos expliquem a melhor forma de sermos pais, de conseguir lidar com o pequeno ser humano que vem aí e com as dificuldades que antecipamos que venham a acontecer. Ao mesmo tempo, começamos por recordar o que foi a nossa infância e a dos nossos amigos e aquilo que recordamos dos nossos pais, dos nossos avós e dos pais dos nossos amigos. Mas depressa nos apercebemos de que não existem receitas infalíveis para se ser pai e que apenas com a vivência do dia-a-dia e da descoberta da personalidade do nosso filhos (e da nossa enquanto pais), é que vamos conseguir perceber como vamos viver a parentalidade e como as coisas vão funcionar connosco. 
Apesar disto tudo, há sempre um livro que gostaríamos de ler e uma opinião que gostaríamos de conhecer, principalmente se for de profissionais que pensam fora da caixa e que possuem longos anos de experiência ligada aos mais pequenos…

Como tudo muda...! Ou de como na maternidade não há nada certo...!

(Mobile musical Disney da Chicco Portugal, Foto por 4Memories - Site, Facebook, Instagram)
Há uns dias, regressei ao primeiro post que escrevi aqui no blog, numa altura em que ainda não sabia muito bem como iriam ser as partilhas por aqui. A minha única certeza é que queria escrever sobre este mundo novo que tanto prazer e felicidade me dá todos os dias. Não sabia se seria um blog cheio de dúvidas de mãe de primeira viagem, com muitas fraldas sujas e cólicas à mistura. Se seria um blog com dramatismo de noites mal dormidas, sobre as dificuldades do regresso ao trabalho ou as mil e uma listas a que uma grávida tem de se dedicar (ou que nos fazem crer que temos de seguir)...
Ao ler esse primeiro post, apenas vos posso dizer que o rumo que este blog tomou é bastante diferente daquele que alguma vez eu poderia ter imaginado. Por aqui, fala-se muito mais de Montessori e de assuntos relacionados com esta forma de encarar o desenvolvimento da criança. Fazem-se partilhas com serenidade sobre …

O que foi a Happy Mom inventar agora?

Mãe que é mãe e que gosta de fazer coisas e de forma organizada, anda sempre de agenda e caneta à mão para anotar as mais diversas coisas: tarefas de casa e do trabalho, consultas, compras para a casa, eventos para a família... Enfim, todo um mundo de coisas... Eu não sou diferente e com o meu toque de ligeiramente obsessivo-compulsiva... Tenho listas para tudo e mais alguma coisa e uma espécie de bullet journal para o trabalho é doutoramento. Muitas tarefas e muitos prazos para cumprir pedem estar forma que organização que resulta bem comigo. Depois e graças ao blog, tenho vindo a descobrir pequenos eventos e workshops que tenho vindo a partilhar, mais ou menos a vulso, na página do Facebook do blog. Até que me ocorreu... Porque não criar uma newsletter em que eu juntasse e partilhasse convosco as minhas sugestões? E aqui está ela! Já a partilhei ontem no Facebook. Quem a quiser receber em PDF na caixa de correio, enviem um email para cronicashappymom@gmail.com para vos incluir na m…

Ambiente preparado e Ikea... E a cozinha e o WC?

Pensavam que já me tinha esquecido do último post sobre sugestões IKEA para o vosso ambiente preparado em casa? Nada disso! Depois de ter escrito sobre sugestões para a sala e para o quarto dos mais pequenos, é chegado o momento de escrever sobre a cozinha e o WC. Confesso que nem sempre nos lembramos destes dois espaços pois não são aqueles em que passamos mais tempo em família (tirando a cozinha...), mas quando se pensa em ter espaços a pensar nos mais pequenos é impossível nos os incluir. A cozinha porque, na minha opinião, não devemos vedar este espaço aos mais pequenos. Apostando em soluções seguras, devemos permitir-lhes que estejam connosco neste espaço e que possam ir partilhando pequenas tarefas connosco tornando, por exemplo, o momento da preparação das refeições tempo de qualidade em família. Bem sei que isso nem sempre é possível durante a semana, quando andamos mais a correr, mas devemos ter as condições para que as crianças encarem este momento como mais um espaço de pa…

Porque comunicar e partilhar é o que mais gosto de fazer!

Eu sou uma pessoa que fala pelos cotovelos. O meu marido costuma dizer que sabe logo quando eu não estou bem: se estou calada e com a boca fechada a sete chaves, é sinal que a energia está mais em baixo (mas, felizmente, isso raramente acontece!). Depois, adoro partilhar as boas descobertas que vou fazendo, as experiências e algumas peripécias do dia-a-dia por isso ter um blog era mesmo o caminho que se seguia (juntamente com a página do blog no Facebook e a conta do Instagram). 
Por isso, e querendo que as partilhas sobre Montessori (e outros assuntos relacionados com a minha visão (nossa visão enquanto família)) cheguem mais longe, decidi juntar aqui este cantinho na blogosfera plantado ao mundo dos blogs que escrevem em português. A partir de hoje, a Happy Mom descomplicada surge ao lado de outros blogs sobre família, educação ou baby blogs como a Top 10 Mom, a Mãe Catita, a Mãe como Tu, a Meia Lua - Mom. Life Lover, Nheko ou a Go baby, go!. E onde é que isto tudo acontece? Na pla…

Dar uma prenda, sentar num canto... Queremos condicionar as crianças tipo Pavlov?

Quem nunca, enquanto criança, não recebeu um presente porque teve boas notas no final da escola ou porque se portou bem pode comer um gelado? Quem nunca recebeu um castigo da professora quando andava na escola porque se enganou a dizer a tabuada do 6? Quem nunca viu uma mãe ou um pai a perguntar o que oferecer à criança em nome da Fada dos Dentes? Quem não se lembra, das professoras à antiga, que tinham uma cadeira especial no fundo da sala para quando nos esquecíamos de fazer os trabalhos de casa?
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades... Ou então podemos nunca ter concordado muito com esta postura da oferta e elogio fácil e do castigo por dá cá aquela palha...
Desde que pensei em ser mãe que houve alguns aspectos a que me dediquei a pensar, a ponderar e a imaginar no que seria quando chegasse o momento. E esta questão dos elogios e dos castigos foi, talvez, uma das que pensei. Não sou a favor de que se elogiem as crianças apenas porque respiram... Podem achar que estou a ser exag…

Evento "Famílias Montessori" - Happy Mom descomplicada e Casa Capaz

O mundo de Montessori é feito de partilhas, de aprendizagem, de crescimento enquanto pessoas e, acima de tudo, de conversa entre pais e famílias que tenham alguma afinidade com esta pedagogia. Recordam-se de, há uns tempos na página do Facebook, ter perguntado se gostariam que fosse feito algo sobre Montessori, descomplicado e informal, mas que colocasse em contacto pessoas com este gosto comum? Quem acompanha a página do Facebook da Happy Mom descomplicada, já deve ter dado conta do evento que partilhei esta semana e que se chama "Famílias Montessori". Então e afinal de que se trata?
Em conjunto com a Casa Capaz (página do Facebook, página na Internet) e fruto do gosto por Montessori, surgiu a ideia de proporcionar uma conversa descontraída sobre Montessori, que juntasse mães, pais, famílias numa roda carregada de boas energias e em que se falasse sobre Montessori, numa perspectiva de partilha sobre o que se faz em casa, sobre descobertas sobre esta pedagogia ou simplesmen…

Não é connosco... mas podia ser...

Esta foto de Paulo Cunha (Agência Lusa) é, provavelmente, uma das que mais foi partilhada nos últimos dias e aquela que mais mexeu comigo. Dante e o seu inferno regressou novamente a este cantinho à beira mar plantado e voltámos a reviver a angústia e o crescer do número de vidas interrompidas cedo demais por causa dos incêndios. Quatro meses após Pedrógão Grande, a tragédia que pensámos nunca acontecer, a realidade veio mostrar-nos que, para além de poder acontecer, ela pode voltar a repetir-se e a mudar a vida de tantas pessoas num abrir e fechar de olhos.Lia por estes dias que o pinhal de Leiria, que todos recordamos de ouvir falar nos bancos de escola por Dom Dinis, o nosso rei poeta, ter mandado plantá-los, perdeu cerca de 80% da sua extensão. Como é possível acontecerem situações destas? Como é possível perdermos tanto, ao nível de vidas humanas e de recursos naturais (já sem pensar nos recursos materiais que também se perderam)? Esta fotografia de Paulo Cunha mexeu comigo... Po…

Bzzzzzzz... já conhecem a Mosca Fosca?

Bzzzzz bzzzzzz estão a ouvir?
Bzzzzz bzzzz ela está a chegar muito divertida...
Bzzzz olhem a Mosca Fosca! Vamos então conhecê-la!
Há já um bom tempo que eu sabia que o meu baby boy adora música.  Não pode ouvir nada a tocar que começa logo a mexer-se e a dançar.  Depois de lhe ter comprado uns livros com algumas músicas  (ele adora ouvir vezes sem conta a Música Aquática de Handel), chegou o dia de o levar a um concerto para bebés e lá fomos conhecer a Mosca Fosca este fim-de-semana. 
A Mosca Fosca é uma mosca um pouco tosca mas cheia de vontade de receber os amigos em casa e de preparar um belo bolo de amoras para o urso. Os amigos vão chegando pouco a pouco, sempre com direito a uma música para cada um, em que a boa disposição e a interactividade com quem está a assistir está presente. Os mais pequenos adoram e os pais também que assistem divertidos a forma como eles reagem às músicas e à história.  
Fomos assistir à Mosca Fosca no Ecos e ficámos rendidos ao carinho que a Cláudia …

A começar a incentivar a pintura... das paredes cá de casa!

Durante o fim-de-semana partilhei na página do Facebook do blog, uma foto com as mais recentes aquisições cá de casa destinadas a criar um cantinho de artes para o baby boy. Sim, apesar de estar a comprar estas coisas muito animada ao mesmo tempo já estou a imaginar toda uma decoração nova nas paredes cá de casa. Já estou a imaginar uns dedinhos pintadinhos de verde ou de laranja a deixarem a sua marca nas paredes e no chão, qual Picasso em formação! Aqui ficam algumas das comprinhas...

Adiante que coração de mãe sofre sempre por antecipação e imagina sempre os piores cenários...
Em conversa com a educadora do meu filhote, descobri a marca Giotto, uma marca existente desde 1920, destinada a fazer as maravilhas dos mais pequenos e dos graúdos na altura de desenhar, pintar e colorir o dia com as cores do arco-íris. Os produtos desta marca são os mais variados possível, indo desde aguarelas, lápis de cera e de cor, a maquilhagem, a plasticinas e guaches laváveis. Para além do mais, tem u…

De como ser mãe nos muda a perpsectiva...

Acho que ao lerem este título, devem ter pensado logo: "Esta rapariga anda mesmo com falta de imaginação para os títulos!" ou "Olha a bela da frase cliché!". Sim, podem ser sinceros, atirar a primeira pedra ou dizerem-me que sou um ovo podre mas nem sempre os títulos tcharan me surgem assim facilmente... Podem dizer que é falta de jeito, que os neurónios foram de férias ou então culpem apenas o cansaço acumulado das últimas semanas... Happy Mom, aqui me confesso: a inspiração existe mas nem sempre brota por todos os poros! eheh

Figura Willow Tree na Home Sweet Kids
Ora bem, depois desta primeira divagação (ou chamem-lhe desabafo, se quiserem!), vamos lá falar de outras coisas... O título cliché que dei a este post não é ingénuo... Depois de ler a crónica "Mães, carreiras e dinheiro. Um puzzle lixado" no blog Crónicas da Maternidade, só me podia lembrar mesmo de um título assim! Já por estes dias tinha escrito sobre o efeito que a dificuldade em dizer não …

A escola do nosso coração

Qualquer mãe e qualquer pai, já passou pela árdua tarefa do processo de escolha da escola para os seus filhotes. Eu própria já tinha escrito sobre este assunto neste post, onde tentei resumir algumas dicas e alguns dos pontos a que eu e o pai do baby boy demos importância quando estávamos à procura da escola. 
Ontem, após a primeira reunião de pais de todo o sempre (e do cair da moeda em como o meu filhote vai estando cada vez mais crescido), falava com o pai sobre a escolha que fizemos e o quanto estamos a chegar à conclusão de que foi a melhor possível e de que esta é a escola do nosso coração. Saber se a escola em que inscrevemos os nossos filhos é efectivamente a que mais corresponde aos nossos ideias enquanto pais, não é algo que se consiga perceber logo no primeiro momento. Eu diria mais: acho que é algo que não se consegue perceber logo nos primeiros dias. Há que dar tempo a que ocorra a fase de adaptação da criança (e dos pais!) ao novo contexto e à nova realidade de já não e…

A dificuldade em dizer não...

Uma amiga partilhou ontem uma imagem no Facebook que me deixou a pensar... Não sei dizer qual era a fonte mas dizia algo do género: passamos o dia inteiro no trabalho a tentarmos ser as melhores do mundo e levamos o tempo em casa a tentarmos ser as melhores mães do mundo (juntaria aqui também a parte de sermos as melhores na relação com o pai dos nossos filhos). E depois das quatro últimas semanas que tive, isto deixou-me a pensar...Já escrevi por aqui há coisa de uns dias que tinha tido, pela primeira vez, o sentimento de estar a perder algo do dia do meu baby boy. Com três semanas a ter um dia bastante preenchido e a não poder levá-lo e ir buscá-lo à escola todos os dias (como sempre fiz, juntamente com o pai, desde que foi para a creche há dez meses), o sentimento de ter de abrandar começou a estar dentro do meu peito, de uma forma como nunca tinha estado. Ou pelo menos, de uma forma tão consciente como por estes dias. Desde que fui mãe,  que assumi que não traria trabalho para cas…

Pedagogias alternativas na televisão? Sim, é possível!

De certeza que a maioria das pessoas já ouviu falar de pedagogias alternativas que, hoje em dia, estão a ganhar cada vez mais expressão no campo da Educação. Nomes como Montessori, High Scope, Reggio Emilia, Waldorf ou Movimento Escola Moderna não serão totalmente para muitos dos pais. E quando começamos a ouvir falar destas pedagogias na televisão, é sinal que a mudança está presente e que é possível temo-la junto a nós. O programa de hoje de Filhos e Cadilhos, do Porto Canal, foi dedicado a Montessori e claro que não podia deixar de assistir. Já sabia que este seria o tema de hoje depois da Sylvia Sousa, do blog Mindful Montessori, e que eu gosto tanto de acompanhar, ter divulgado na sua página que iria estar hoje presente no programa para falar um pouco da pedagogia de que tanto gosta. Aqui em casa foi um programa assistido a três, pois o pai do meu baby boy também me acompanha nesta aventura de descoberta do mundo de Montessori. Gostei muito de ouvir a Sylvia falar e mostrar os d…