Avançar para o conteúdo principal

Observar: muito mais do que apenas olhar!

Enquanto vamos crescendo, parece que vamos perdendo certas capacidades que nos permitiam olhar o mundo com olhos de ver. Não é à toa que Maria Montessori utilizou a expressão "mente absorvente" para se referir aos primeiros anos de vida de uma criança em que ela está totalmente receptiva a observar e a aprender com os olhos. Mas será que nós, enquanto adultos, perdemos essa capacidade de observar?

A correria do dia-a-dia... Os dias que começam muito cedo e com tantas coisas para fazer nas horas que temos por diante: preparar para sair de casa, ir deixar os filhos à escola, trabalho, repetir a passagem pela escola, chegar a casa, preparar jantar, banhos, organizar tarefas para o dia seguinte e só depois é que se consegue cair na cama para retemperar um pouco. Mas, fazendo a retrospectiva do dia... Será que nos dedicamos a observar algo? Fomos capazes de observar o céu o ver o seu azul e a forma das nuvens? Fomos capazes de nos sentar num banco de jardim a observar a dança das folhas nas árvores? Observámos as pessoas com que nos cruzámos? Muito provavelmente, não... A capacidade de observar verdadeiramente, não meramente de olhar, parece que nos vai escapando pelos dedos como a areia da praia. Parece que não temos tempo para isso. Cinco, dez, quinze minutos das 24 horas do dia parecem não poder ser gastos para meramente observar, sem tecer juízos de valor. Apenas absorver o que o mundo nos proporciona como as crianças no início das suas vidas e em que fazem a sua aprendizagem pela observação dos adultos. 

Esta semana o Jardim da Descoberta lançou um desafio a que chamou "Quem se atreve a observar?".

Para quem começa a ler sobre Montessori, descobre que esta era fundamental para a forma como ela desenvolver o seu método e para o que fazia na Casa das Crianças. Conforme o post do Jardim da Descoberta e ao citarem Rambusch, "Segundo o método Montessori, o professor incapaz de observar não poderá ensinar". Estando muito longe de ser professora, enquanto mãe, sinto que apenas poderei corresponder melhor às necessidades do meu filho se olhar para ele de forma atenta, apreendendo aquilo que de que ele necessita em cada momento e se deseja que eu tenha uma presença mais activa ou que seja mera espectadora das suas actividades e brincadeiras. Com o seu desafio, o Jardim da Descoberta quer permitir-nos momentos de observação em que essa seja a nossa única tarefa e em que nos dediquemos a simplesmente observar a pequena criança que temos diante de nós. E eu senti que era um desafio para mim! Já acabo por fazer um pouco isto todos os dias. Ao chegar da escola e enquanto está nas suas brincadeiras, dedico-me a ver o que o meu filho gosta ou não de fazer, que utilização dá aos objectos, como se move e o que lhe prende mais a atenção. É essencial para mim e indispensável fazer isto todos os dias para me sentir capaz de o acompanhar.

E vocês? Dedicam este tempo de observação? Acompanham-me neste desafio?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

Natal guloso do baby boy

Todos nós sabemos que, nesta quadra, abundam os doces e os docinhos nas mais diversas formas e com crianças pequenas devemos ter alguns cuidados especiais quanto à alimentação. No livro "Deixe-os comer terra", de Brett Finlay e Marie-Claire Arrieta (de que já vos falei neste post sobre vacinas e neste post sobre o desmistificar do contacto das crianças com os micróbios no dia-a-dia), os autores recomendam que se mantenha o açúcar dado às crianças numa quantidade mínima pois "um bebé guloso vai, provavelmente, tornar-se uma criança gulosa", para além de que "quanto menos açúcares refinados o bebé ingerir, melhor, tanto para ele como para os biliões de micróbios que se deleitam com tudo o que termina na barriguinha dele". 
Desde que introduzi a alimentação complementar ao meu pequeno pirata, agora com 19 meses, que a preocupação com alimentos açucarados ou demasiado processados tem sido constante. Sinal disso, foram os livros que vieram viver cá para casa:…