Avançar para o conteúdo principal

Como tudo muda...! Ou de como na maternidade não há nada certo...!

(Mobile musical Disney da Chicco Portugal, Foto por 4Memories - Site, Facebook, Instagram)

Há uns dias, regressei ao primeiro post que escrevi aqui no blog, numa altura em que ainda não sabia muito bem como iriam ser as partilhas por aqui. A minha única certeza é que queria escrever sobre este mundo novo que tanto prazer e felicidade me dá todos os dias. Não sabia se seria um blog cheio de dúvidas de mãe de primeira viagem, com muitas fraldas sujas e cólicas à mistura. Se seria um blog com dramatismo de noites mal dormidas, sobre as dificuldades do regresso ao trabalho ou as mil e uma listas a que uma grávida tem de se dedicar (ou que nos fazem crer que temos de seguir)...

Ao ler esse primeiro post, apenas vos posso dizer que o rumo que este blog tomou é bastante diferente daquele que alguma vez eu poderia ter imaginado. Por aqui, fala-se muito mais de Montessori e de assuntos relacionados com esta forma de encarar o desenvolvimento da criança. Fazem-se partilhas com serenidade sobre a realidade de ser mãe e, acima de tudo, tento escrever com o coração e partilhar convosco um pouco a forma como eu gosto de ver a maternidade. Ou melhor, como eu e o pai do meu filhote vemos esta nossa caminhada e este nosso crescimento enquanto pais de um pequeno pirata de 17 meses. Devo dizer-vos que estes (ainda!) breves meses de Happy Mom descomplicada me têm permitido descobrir pessoas muito especiais neste mundo ligado aos mais pequenos, à maternidade e a Montessori. Que me dizem que o amor se sente nas minhas palavras e que no feedback que me vão dando me mostra que vale a pena continuar a dedicar-me a este cantinho e a desejar contribuir para a mudança de mentalidades. Um mundo que se faz de muita partilha, sem protagonismos entre bloggers diferentes, e em que o único objectivo comum é mostrar que é possível pensar-se fora da caixa e contribuir para que a forma como se olha para a educação, para o crescimento da criança e para a escola. 

Posso dizer que hoje sou uma mãe muito diferente da mãe que escreveu esse primeiro post. Bastante mais serena e muito mais descomplicada (grande papel teve aqui o meu marido! Acreditem que, se não fosse ele, já teria roído muito mais as unhas!! Obrigada por seres assim!). Uma mãe que sabe que o que faz sentido para o crescimento do seu filho, e enquanto família, é proporcionar-lhe todos os dias o contacto com o meio exterior, a natureza, a autonomia e a descoberta da realidade. Uma mãe que não quer um filho eternamente debaixo das saias e cortar-lhe a fruta até aos 35 anos! Acima de tudo, uma mãe que quer que o filho cresça feliz, com consciência do mundo que o rodeia e de que os pais, todos os dias, fazem o melhor para lhe dar não menos que o universo!

Sou uma mãe hoje adepta da #maternidadeapassodecaracol e consciente de que todos os dias estou a aprender. Sou uma mãe cheia de ideias e de vontade de fazer diferente sempre com Montessori à mistura. Uma mãe que quer evoluir e saber mais sobre este mundo de pedagogias alternativas como Montessori, Reggio Emilia e Movimento Escola Moderna, aquelas com que o meu filhote vai contactar na escola do nosso coração e que escolhemos para ele. E quem sabe... Um dia poder fazer uma formação mais dedicada a Montessori... Quem sabe?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

Natal guloso do baby boy

Todos nós sabemos que, nesta quadra, abundam os doces e os docinhos nas mais diversas formas e com crianças pequenas devemos ter alguns cuidados especiais quanto à alimentação. No livro "Deixe-os comer terra", de Brett Finlay e Marie-Claire Arrieta (de que já vos falei neste post sobre vacinas e neste post sobre o desmistificar do contacto das crianças com os micróbios no dia-a-dia), os autores recomendam que se mantenha o açúcar dado às crianças numa quantidade mínima pois "um bebé guloso vai, provavelmente, tornar-se uma criança gulosa", para além de que "quanto menos açúcares refinados o bebé ingerir, melhor, tanto para ele como para os biliões de micróbios que se deleitam com tudo o que termina na barriguinha dele". 
Desde que introduzi a alimentação complementar ao meu pequeno pirata, agora com 19 meses, que a preocupação com alimentos açucarados ou demasiado processados tem sido constante. Sinal disso, foram os livros que vieram viver cá para casa:…