Avançar para o conteúdo principal

Viciada em organização? Eu...?


Há uns tempos escrevi sobre como me organizo e chamei-me a mim própria uma planner freak. Sim, é verdade... Confesso que ando sempre em busca de estratégias que façam sentido para me organizar, seja em casa ou no trabalho. Sou a rapariga que tem caderninhos para anotar tudo e mais alguma coisa mas parece que existe sempre mais alguma coisa para melhorar... Parece que a receita infalível para me organizar ainda não a descobri. Todos os locais valem para encontrar inspiração e a internet acaba sempre por ser um bom local para procurar dicas...

Um dos primeiros blogs que descobri sobre dicas de organização e de produtividade foi o Vida Organizada da Thais Godinho. Para quem for fã de estratégias de organização para as diferentes áreas da nossa vida (família, trabalho, rotinas de casa), sem dúvida que este blog funciona quase como uma bíblia da organização. Foi também por aqui que descobri o método GTD ou Getting Things Done criado pelo americano David Allen (aqui podem descobrir o site dele sobre o método que desenvolveu) e sobre o qual a Thais escreve varidíssimos posts como podem ver aqui. Confesso que nunca cheguei a experimentar este método... Mas se calhar até acabo por ir fazendo alguma das coisas mas sem o caderno para apontar as diferentes tarefas da mesma forma que o método sugere...

Outro blog que também dá boas sugestões sobre produtividade é o The Busy Woman and the Stripy Cat, onde a Rita escreve sobre o seu dia-a-dia, explica como se organiza e escreve principalmente sobre minimalismo e este estilo de vida que adoptou para si e que faz sentido enquanto família, sendo a produtividade e a gestão do tempo um dos principais temas sobre o qual escreve. Descobri este blog quando a Rita escrevia sobre a técnica Pomodoro, criado por Francesco Cirillo e a sua técnica de dividir o tempo em pequenas parcelas com intrervalos entre si, defendendo que desta forma somos mais produtivos: intervalar as tarefas que estamos a fazer, focando-nos verdadeiramente nelas, fazem com que sejamos mais produtivos e consigamos finalizá-las em menos tempo e com maior sucesso. O truque é definir um tempo e ir beber um chá no intervalo para aliviar a nossa mente das tarefas que exigem maior concentração. 

E depois existe essa meca da inspiração para tudo e mais alguma coisa que é o Pinterest! Por aqui encontra-se de tudo sobre tudo. Desde inspiração para festas das crianças, a decoração, muitas sugestões sobre Montessori podem encontrar por lá (como nestes dois álbuns que tenho sobre Vida Prática e Quartos Montessori) e milhares de dicas de organização para casa e trabalho que podem mesmo ser aquelas de que estamos a precisar. Por acaso, ainda não me lembrei de criar por lá um álbum com sugestões de organização mas com tudo isto que escrevi não deve faltar muito, pois não?

Há quem diga que eu sou um pouquinho obsessivo-compulsiva nesta coisa da organização... Se calhar sou! Gosto de deixar a secretária do trabalho metodicamente organizada quando regresso a casa. Organizo os meus livros de uma determinada forma que o meu marido diz que só eu entendo... Gosto de organizar os armários por tipos de produtos e a roupa por cores... Bem, já estão a ver, não é? Mas será que sou a única viciada em organização por aqui?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Quarto de bebé: o nosso pequeno mundo!

Durante a gravidez e mesmo depois de sermos mães, o quarto do bebé deve ser um dos locais onde passamos mais tempo e um dos quais dedicamos maior atenção na nossa casa. Se durante a gravidez, a preocupação é decorar o quarto com todos aqueles pequenos detalhes que o tornem especial e único (sem que isso seja, obrigatoriamente, sinónimo de funcionalidade), depois de sermos mães e de percebermos aquilo que o nosso bebé e nós precisamos para as diferentes parte do dia, o quarto de bebé acaba por ir sofrendo algumas adaptações ao longo do tempo. O tema do quarto de bebé não é novo aqui no blog. Se a memória não me falha, já escrevi por aqui sobre pequenas sugestões para criar um refúgio para crianças felizes , já me inspirei na IKEA Portugal para vos dar sugestões de como criar um ambiente preparado Montessori-friendly no quarto dos mais pequenos e já escrevi também por aqui sobre como não deve faltar muito para haver algumas mudanças no quarto do baby boy neste início de 2018 . Passa

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por