Avançar para o conteúdo principal

Descobertas em família: o mar

Há medida que os mais pequenos vão crescendo, as oportunidades de poder fazer mais actividades fora de casa vão surgindo. Desde os passeios em família ou à escolha de actividades disponíveis para os mais pequenos, o leque de opções é muito variado e o limite é mesmo a nossa imaginação.
Desde cedo que cá por casa os passeios têm sido uma constante. Ter filhotes não é sinónimo de deixarmos de ir aos sítios de que tanto gostamos e, por isso, o baby boy já fez alguns bons quilómetros de passeios com os pais. E já fez a sua primeira visita a um local que faz as delícias de miúdos e graúdos,  o Oceanário de Lisboa. Na altura da visita, tinha apenas nove meses mas, contra todas as nossas expectativas de pais, gostou bastante e esteve sempre muito atento a todos os movimentos dos peixes e animais, principalmenteos do aquário central (provavelmente por serem aqueles de maiores dimensões). Se há duas coisas que deixam o baby boy cá de casa sempre muito atento são animais e música. Vê-se nos seus olhos uma curiosidade redobrada quando há animais por perto ou música a tocar e também fazemos por cultivar esses dois gostos que ele tem demonstrado. E a ida ao Oceanário veio mesmo comprovar este gosto por animais!
Tenho de confessar que estava algo receosa com esta visita... Como podem imaginar, um bebé de nove meses facilmente perde o interesse por uma actividade e por isso tinha receio de que ele ficasse aborrecido logo no início da visita. No entanto, arriscamos pois é com estas pequenas actividades que vamos conhecendo os nossos pequenos (por exemplo, como se comportaria ele num local com muita gente) e que vamos afinando as nossas estratégias de pais quando as coisas não correm como estamos à espera. O saldo foi mesmo positivo: sempre atento, sempre muito curioso e com uma vontade enorme de tocar em tudo o que o rodeava. E sem grande receio dos peixes de maiores dimensões que se aproximavam do vidro no aquário central (uma garoupa quis aproximar-se bastante e ele nem recuou... Preferiu mais fazer festinhas no vidro e a garoula ali ficou!).  A nossa intenção agora é,  sendo ele mais  crescido, regressar com ele ao Oceanário para que possa desfrutar de forma diferenteda visita e, quem sabe quando for mais velho, poder proporcionar-lhe uma noite com os tubarões!
Nesta coisa de passeios com os filhotes, as expectativas dos pais são sempre elevadas e estão sempre expectantes que os mais pequenos adorem a visita e não se aborreçam com nada. A sugestão que vos deixo (e que seguimos aqui em casa) é não terem as expectativas demasiado elevadas quanto a qualquer actividade que façam nesta fase. É normal os bebés perderem o interesse, é normal ficam aborrecidos e é também normal chorarem para o demonstrarem. Cabe-nos a nós conseguirmos transmitir-lhes o máximo de calma quando eles se sentirem mais aborrecidos. Lembrem-se sempre de que o vosso estado de espírito pode melhorar ou piorar a situação pois o que o bebé fará será um reflexo daquilo que ele sente do mundo à volta dele. Pode dizer-se que "pais felizes, bebé tranquilo"! Acima de tudo, desfrutem de todos os bons momentos que escolham fazer em família pois serão esses momentos a criar as melhores recordações para os vossos filhotes.
Por aqui, já temos algumas futuras actividades "debaixo de olho" para fazer com o baby boy. Uma ida à Tapada de Mafra ou a uma quinta pedagógica.  Uma visita ao Aquário Vasco da Gama ou um concerto para bebés  (para cultivar também o gosto pela música desde cedo!). Outras actividades se seguirão adaptando sempre àidade e aos interesses do nosso pequenote. Porque ele dá-nos o sinal daquilo que mais gosta e que quer experimentar... Basta estarmos atentos!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

Natal guloso do baby boy

Todos nós sabemos que, nesta quadra, abundam os doces e os docinhos nas mais diversas formas e com crianças pequenas devemos ter alguns cuidados especiais quanto à alimentação. No livro "Deixe-os comer terra", de Brett Finlay e Marie-Claire Arrieta (de que já vos falei neste post sobre vacinas e neste post sobre o desmistificar do contacto das crianças com os micróbios no dia-a-dia), os autores recomendam que se mantenha o açúcar dado às crianças numa quantidade mínima pois "um bebé guloso vai, provavelmente, tornar-se uma criança gulosa", para além de que "quanto menos açúcares refinados o bebé ingerir, melhor, tanto para ele como para os biliões de micróbios que se deleitam com tudo o que termina na barriguinha dele". 
Desde que introduzi a alimentação complementar ao meu pequeno pirata, agora com 19 meses, que a preocupação com alimentos açucarados ou demasiado processados tem sido constante. Sinal disso, foram os livros que vieram viver cá para casa:…