Avançar para o conteúdo principal

Brinquedos... Que brinquedos?

Brinquedos... Esse mundo imenso e colorido em que podemos perder o rumo, qualquer que seja a idade da criança...

Acho que raro deve ser o pai ou a mãe que não se perde quando entra numa loja de brinquedos. As ofertas são mais do que variadas, coloridas, musicais e atractivas e acaba sempre por ser uma tarefa mais ou menos complicada escolher qual o brinquedo a levar para casa. Ou somos realmente muito focados e entramos na loja com um objectivo muito bem definido ou facilmente nos afastamos do que íamos buscar e acabamos por levar para a caixa para pagar um qualquer outro brinquedo. Nos dias de hoje, as opções são mais do que variadas e temos à nossa disposição diferentes tipos de brinquedos, em diferentes tipos de materiais, para oferecermos aos nossos filhos e ajudarmos no seu desenvolvimento.

Olhando para as prateleiras, a maior oferta é de brinquedos de plástico, muito coloridos, mas que acabam por perder uma parte muito importante: a de serem feitos por materiais de diferentes texturas que estimulem sensorialmente aos mãos do mais pequenos. E depois, escondidos quase no submundo das lojas de brinquedos, surgem os brinquedos de madeira, quais renegados do mundo da diversão. Mas olhando bem para estes objectos, com aspecto mais artesanal, temos diante de nós uma melhor alternativa para as nossas crianças. Habitualmente, os brinquedos de madeira acabam por ser associados a brinquedos mais educativos, com finalidades específicas de desenvolvimento infantil, pois habitualmente são concebidos focando-se no desenvolvimento cognitivo dos mais pequenos, estimulando a sua aprendizagem e permitindo-lhe escolher qual o rumo que pretende para a sua brincadeira. Acabamos por proporcionar as nossas crianças que sejam mais livres para brincar, para imaginar e para construir a sua realidade.

Atenção que não quero com isto dizer que os brinquedos de plástico que existem à disposição não permitem o desenvolvimento dos mais pequenos. O que quero antes dizer é que, da forma como são concebidos, os brinquedos de madeira permitem proporcionar um estímulo diferente, menos direcionado, que faz com que a criança aprenda ao seu ritmo.

Aqui por casa damos preferência aos brinquedos de madeira, talvez porque nós pais, quando eramos crianças, também gostássemos mais destes brinquedos. Esta semana descobri uma marca de brinquedos de madeira, a Plan Toys, que constrói os seus brinquedos de forma sustentável e utilizando materiais não tóxicos para as crianças. Possuem uma oferta alargada que podem encontrar, por exemplo, à venda na Origami Kids ou no El Corte Ingles. Por aqui, escolhemos trazer para casa o xilofone, feito de madeira da árvore da borracha e de tintas à base de água, recomendado a partir dos 12 meses, muito porque o baby boy é muito receptivo a tudo o que são estímulos musicais. Outra particularidade que gostei nesta marca foram os alfabetos, também em madeira, adequados a partir dos dois anos. E o que é que estes alfabetos possuem de diferente? Para além de letras, possuem também o alfabeto em braille e em linguagem gestual. Muito interessante, não acham? Aqui ficam algumas fotos destes alfabetos que poderão ser uma boa opção para brincadeiras e desenvolvimento da linguagem depois dos dois anos.




E a vossa opinião como pais? O que acham dos brinquedos de madeira?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

Natal guloso do baby boy

Todos nós sabemos que, nesta quadra, abundam os doces e os docinhos nas mais diversas formas e com crianças pequenas devemos ter alguns cuidados especiais quanto à alimentação. No livro "Deixe-os comer terra", de Brett Finlay e Marie-Claire Arrieta (de que já vos falei neste post sobre vacinas e neste post sobre o desmistificar do contacto das crianças com os micróbios no dia-a-dia), os autores recomendam que se mantenha o açúcar dado às crianças numa quantidade mínima pois "um bebé guloso vai, provavelmente, tornar-se uma criança gulosa", para além de que "quanto menos açúcares refinados o bebé ingerir, melhor, tanto para ele como para os biliões de micróbios que se deleitam com tudo o que termina na barriguinha dele". 
Desde que introduzi a alimentação complementar ao meu pequeno pirata, agora com 19 meses, que a preocupação com alimentos açucarados ou demasiado processados tem sido constante. Sinal disso, foram os livros que vieram viver cá para casa:…