Avançar para o conteúdo principal

Vamos swimingar?

Se houve um ponto em que sempre concordámos aqui em casa foi em colocar o baby na natação desde cedo. É certo que nem todos os pais optam por colocar os seus bebés desde cedo em alguma actividade, mas tendo eu andado vários anos na natação e tendo testemunhado as aulinhas dos mais pequeninos, não podia deixar de considerar esta opção quando chegasse a altura.

A natação foi logo um ponto abordado na consulta com o pediatra para tentar perceber se ele aconselhava e desde que idade. Foi algo em que nos apoiou desde logo e recomendou que o fizéssemos a partir dos seis, referindo que seria muito bom para o nosso baby ir para a natação. Segundo um artigo publicado na página TodoPapás, as aulas de natação para bebés em que os pais participam podem ser muito benéficas tendo como principais vantagens aprender a comportar-se dentro de água, trabalhar a sobrevivência e favorecer a autonomia. Depois, seguiu-se a procura da piscina ideal: a que tivesse boas instalações e bom feedback sobre os professores, a que tivesse a melhor localização tendo em conta os nossos locais de trabalho e a nossa casa e a que tivesse os horários que mais se enquadrassem na nossa realidade familiar. A escolha da piscina deve ter em conta um conjunto de requisitos, tais como um nível máximo de cloro de ppm, uma temperatura média de 32º, um pH entre 7,4 e 7,6 e um número reduzido de alunos por professor, segundo as dicas do Pumpkin.pt sobre como escolher uma piscina para o bebé sem meter água.

E o melhor de tudo é poder desfrutar deste momento em família, já que a natação para bebés é sempre feita a dois: um dos pais e o bebé dentro de água. Por aqui, optámos por irmos alternando quem vai para dentro de água, ou eu ou o pai, para que o bebé se habitue ao nosso toque dentro de água e não crie receios no futuro. E a experiência está a ser deliciosa, posso dizer-vos! Depois de quase 9 meses dentro da barriga, é delicioso ver como se movimenta dentro de água com a nossa ajuda e como não estranha o meio líquido. É uma actividade que aconselho a todas as famílias! Vão ver que será um excelente motivo passar algum tempo dentro de água com os nossos mais pequenos. Eles irão agradecer-nos no futuro estes momentos em família.

Comentários

  1. Tb comecei cedo com o meu Principe, começamos aos 8 meses. mas infelizmente chegamos ao inverno e as doenças acabadas em ites não deram descanso e deixamos de ir. No ano seguinte voltou e nunca mais parou! Adora a piscina!

    ResponderEliminar
  2. As "ites" e tudo o que pode surgir no infectário pode acabar por nos trocar as voltas quanto a estas experiências. Mas ainda bem que regressou e que está a correr muito bem! É uma experiência que vale mesmo muito a pena :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data. 
Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu?

Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento com cerimón…

Ambiente preparado e Ikea... O quarto dos mais pequenos

Propositadamente, quando escrevi o primeiro post sobre ambiente preparado e Ikea que podem ler aqui, não comecei por escrever sobre o quarto dos mais pequenos. Nos vários grupos de mães que vou acompanhando no Facebook (que não específicos sobre Montessori), a primeira questão que a maioria coloca é onde encontrar a famosa cama casinha para se construir um quarto montessoriano. E é aqui que, talvez, começa por se ter a abordagem menos adequada a Montessori e a aplicarmos esta pedagogia em nossas casas. Primeiro, convém desmistificar que uma cama em forma de casa, ainda que esteja à altura do chão e permita à criança entrar e sair livremente, não é fielmente Montessori. Trata-se de um modelo de cama de inspiração nórdica e que, por acaso, também tem o colchão perto do chão. Está na moda e muitas marcas vendem-se como sendo Montessori mas convém ter presente que este método se caracteriza, acima de tudo, por uma enorme simplicidade na forma como se prepara ao ambiente para a criança. N…

Ambiente preparado e Ikea...Porque não?

Na semana passada publiquei um breve post em que dava algumas sugestões para os quartos dos mais pequenos a partir de peças do Ikea e da Vertbaudet. Numa manhã a caminho do trabalho, fui presenteada com o novo catálogo dessa catedral de decoração que é o Ikea e lancei uma pergunta na página do Facebook que foi muito bem recebida. E que pergunta era essa? Gostariam de ver um post em que juntasse Montessori e o novo catálogo que recebi?  Dada a curiosidade com esta minha ideia, aqui estou eu a colocá-la em prática...
Mas primeiro vamos ver o que é o ambiente preparado pois afinal de contas é esse o título deste post, não é verdade? Para quem conhece a pedagogia Montessori,  o ambiente preparado surge como uma parte fundamental desta pedagogia: o ambiente deverá estar adequado à criança,  seja pela sua idade ou tamanho, e as seus interesses, ao mesmo tempo que promove a sua autonomia, permitindo que se desenvolva ao seu ritmo e sem pressões ou interferência dos adultos.
Apesar de não s…