Avançar para o conteúdo principal

As mulheres são tramadas!

Sim, nós mulheres somos mesmo tramadas. Não é à toa que os homens dizem que devíamos ter livro de instruções, que somos uns bichos estranhos e por aí fora.
Nós que somos mães e que gostamos destas coisas de redes sociais, quase todas devemos fazer parte de um (ou mais!) grupos de mães no Facebook. Na teoria, estes grupos teriam tudo para correr bem: seriam locais de partilha e de entreajuda entre mães, com o intuito de todas aprendermos e nos ajudarmos nas dificuldades do dia-a-dia. Pois... Em teoria... Eu sou uma das mães que pertence a esse grupos e não fico propriamente surpreendida com as pequenas confusões que se vão gerando nestes grupos, puro e simplesmente pelas divergências de ideias. Ou pela dificuldade em aceitar opiniões que nos são contrárias...
Ontem li este post no blog No colo da mãe e não podia concordar mais com estas palavras. Quando pedimos opinião, temos de ter a capacidade de conseguir aceitar as opiniões que nos são favoráveis e, principalmente, aquelas que vão contra o que pensamos e que nos contrariam. Nenhuma mãe é perfeita e não vale a pena pensarmos que essa perfeição existe. Isso é utópico! O que existe sim é uma mãe que é a mais perfeita e a melhor do mundo para o seu bebé. Agora, se colocamos uma dúvida num grupo do Facebook e pretendemos ler as opiniões de outras mães, temos de aceitar que alguém terá uma palavra contrária. Se escrevemos este ou aquele post pedindo ajuda (quando, na verdade, o que buscamos mesmo é a aceitação das nossas opções), não podemos logo atirar pedras a quem se nos opõe. Nem todas somos detentoras da mesma experiência, do mesmo conhecimento ou da mesma capacidade de pesquisa. Se pedimos opinião, devemos ser capazes de aceitar outros conhecimentos que não aqueles que fazem parte do nosso ideal. A entreajuda é mesmo isso: aprendermos com quem tem mais experiência e adaptarmos à realidade que pretendemos para a nossa família. Mas de forma desprendida e sem buscarmos segundas intenções em tudo aquilo que nos dizem.
Ser mulher é tramado. Ser mulher membro de um destes grupos é ainda mais tramado quando as hormonas andam completamente à flor da pele e têm a capacidade de nos toldar a forma de resposta ou o raciocínio (sim... as hormonas são capazes disto e de muito mais!). Não podemos achar que esta ou aquela opinião é uma bala direccionada directamente a nós. Não podemos esperar que todas as mães que escrevem nestes grupos completem as suas frases com muitos smiles e muitas florzinhas. Todas somos pessoas diferentes e não é por não utilizarmos smiles que estamos a tentar ofender. Antes pelo contrário!
As mulheres são tramadas. Mas as mulheres também necessitam de relativizar mais as coisas a sua volta. Têm de aprender a ouvir melhor as outras mulheres e considerarem-nas como aliadas e membros de uma tribo que existe para ajudar.
As mulheres são tramadas... Mas temos de contrariar isso!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

Ambiente preparado e Ikea... O quarto dos mais pequenos

Propositadamente, quando escrevi o primeiro post sobre ambiente preparado e Ikea que podem ler aqui, não comecei por escrever sobre o quarto dos mais pequenos. Nos vários grupos de mães que vou acompanhando no Facebook (que não específicos sobre Montessori), a primeira questão que a maioria coloca é onde encontrar a famosa cama casinha para se construir um quarto montessoriano. E é aqui que, talvez, começa por se ter a abordagem menos adequada a Montessori e a aplicarmos esta pedagogia em nossas casas. Primeiro, convém desmistificar que uma cama em forma de casa, ainda que esteja à altura do chão e permita à criança entrar e sair livremente, não é fielmente Montessori. Trata-se de um modelo de cama de inspiração nórdica e que, por acaso, também tem o colchão perto do chão. Está na moda e muitas marcas vendem-se como sendo Montessori mas convém ter presente que este método se caracteriza, acima de tudo, por uma enorme simplicidade na forma como se prepara ao ambiente para a criança. N…