Avançar para o conteúdo principal

Momentos a dois

Amamentar... O maior acto de amor e de dedicação que podemos ter para o nosso bebé. 

Antes de mais, quero dizer que estou longe de ser fundamentalista no que toca à amamentação. Estou longe de achar que as mães que não amamentam são piores mães do que aquelas que o fazem. A decisão de amamentar é algo muito próprio da mulher e deverá ser apenas ela, juntamente com o seu companheiro, a decidir o que é melhor para o seu bebé e para si, tendo sempre por base uma decisão bem fundamentada e conversada a dois. Sim, porque ainda que se ache que é apenas a mãe que a amamenta... O pai que está ali ao lado tem também um papel fundamental neste momento tão íntimo entre mãe e filho e pode contribuir e muito para que a amamentação seja um sucesso! Devemos procurar o máximo de informação (ler, por exemplo, o Manual de Aleitamento Materno da UNICEF) e, quando achamos que a amamentação pode não estar a correr bem, recorrer a profissionais especializados em amamentação como os de Vamos dar de mamar, SOS Amamentação, Amamenta Porto ou Clínica Amamentos.

Passando a factos concretos... A Organização Mundial de Saúde (e a nossa Direcção-Geral de Saúde) recomenda a amamentação em exclusivo e em livre demanda (LD) até aos seis meses de vida do bebé e, de forma complementar, até aos dois anos de idade, pelo menos. Para que a amamentação possa ser bem sucedida desde o início, o hospital onde ocorre o nascimento deve apoiar a mãe no que respeita a amamentação e esclarecê-la quanto a todas as dúvidas, seguindo uma abordagem positiva permitindo que a mãe e o bebé estejam juntos durante 24 horas e que o bebé possa mamar sempre que quiser (para saber mais ler as Recomendações OMS). Mas, infelizmente, quem foi mãe sabe que nem todos os hospitais são "amigos dos bebés" e que nem todos os profissionais de saúde nos dão aquele incentivo e o conforto que estaríamos à espera num momento de tão grande turbilhão de hormonas!

Mas eu só posso estar grata por tudo neste aspecto da amamentação e por, aos oito meses, continuar a ter estes momentos deliciosos com o meu bebé! Tive a sorte de, no hospital e mesmo tendo feito cesariana, poder ter amamentado logo no recobro e ter sentido o meu bebé bem junto a mim. Tive a sorte de ter encontrado uma equipa de enfermeiros e auxiliares que me apoiaram na amamentação, que estavam sempre a corrigir a pega quando era necessário, fosse de noite ou de dia. E esse acompanhamento continuou já em casa, via telefone, quando me ligaram para saber se esta tudo bem e se o baby estava conseguir mamar bem. E, acima de tudo, não poderia estar mais grata por ter um companheiro de viagem a meu lado que sempre me apoiou na minha decisão de amamentar e que me agradece todos os dias o esforço e a dedicação em dar ao nosso filho o melhor. Por não me incentivar a deixar de amamentar, mesmo quando já regressei ao trabalho e o nosso baby já está no berçário.

Porque estes momentos a dois valem ouro... E vou ter muitas saudades quando terminarem!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

A ajudar na autonomia do bebé cá de casa

Lembram-se do post que partilhei com dicas de como construir um ambiente preparado em casa na cozinha e na casa-de-banho? Pois bem, aquelas eram sugestões,  dicas para quem tem curiosidade sobre o mundo Montessori ou que apenas queira tornar as difeeentes partes da sua casa um pouco mais amigas das crianças.  Mas se vocês forem como eu, devem ter sempre curiosidade em saber como é que quem escreve num blog acaba por fazer este tipo de coisas em sua casa. Somos seres humanos curiosos, não é verdade?
É inegável com o ikea consegue mesmo ser o nosso melhor amigo quando queremos fazer pequenas mudanças em casa. E por isso, é claro que foi aqui que encontrei duas soluções simpáticas para tornar a rotina diária da higiene do meu baby boy mais fácil para ele, proporcionando-lhe autonomia agora que tem 18 meses. 
As nossas casas estão feitas para os adultos.  Tudo está a uma escala demasiado grande para os mais pequenos. Juntamente com a sua vontade de serem independentes e de fazerem por si…