Avançar para o conteúdo principal

Eu também escrevo sobre o Dia Internacional da Mulher

8 de março. Aquele dia em que parece que as flores e o cor-de-rosa invade os nossos feeds vindos de todos os lados. Dia Internacional da Mulher. Acho que a grandes contribuição que podemos fazer para a nossa sociedade neste dia é passarmos às nossas crianças o que significa ser mulher e homem nos dias de hoje. Explicar-lhes que nem sempre foi assim e que muitas foram as mulheres que lutaram e que foram pioneiras nos mais diversos campos para que a sociedade ocidental dê mais valor é liberdade às mulheres. Mas não nos podemos esquecer, do alto do nosso pedestal de mulheres emancipadas, que a liberdade de expressão, de opção, de escolher o homem que amamos para casar, de sermos livres de sermos alvo de mutilação genital ou qualquer outro tipo de violação da nossa condição de mulher não é a realidade de todas as mulheres do mundo. Por essas, devemos continuar a lutar todos os dias para que termine a violência de todos os tipos, muitas vezes desde tenra idade. É também nosso dever, enquanto pais de novas gerações, mostrar às crianças, desde cedo, que a expressão das emoções deve acontecer em toda a sua plenitude, independentemente do género. Os meninos podem chorar e as meninas podem querer ser super-heróis. Devemos passar às novas gerações que nada é impossível e que a única limitação que um género pode ter é deixar de sonhar. Um feliz Dia da Mulher a todas nós! E obrigada aos homens das nossas vidas! ❤️

Comentários

  1. Estamos totalmente de acordo! Ainda hoje tentei explicar à minha sobrinha o que é o dia da mulher, claro que metade não percebeu, tem a sorte de ainda não perceber o mundo na sua plenitude.
    Aliás escrevemos um post no mesmo sentido hoje.

    https://pontodereclamacaoblog.wordpress.com/2018/03/08/dia-da-mulher/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é o maior contributo que podemos dar para a nossa sociedade: explicar às nossas crianças o significado deste e de outros dias tão importantes para que a luta de tantas pessoas não fique esquecida no tempo e para que estes dias não se tornem apenas uma manifestação de consumismo e se esqueça a verdadeira essência da data. Vou espreitar o post!

      Eliminar
  2. Dos melhores textos que li sobre este dia, parabéns, ganhou um novo subscritor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. Muito obrigada, Cristóvão! Fico muito contente que tenha gostado da minha opinião sobre este dia. Pode não ser a mais habitual escrita por uma mulher, mas é aquela que me faz sentido enquanto mãe e mulher na sociedade dos dias de hoje. Espero encontrá-lo mais por aqui!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data. 
Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu?

Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento com cerimón…

Ambiente preparado e Ikea... O quarto dos mais pequenos

Propositadamente, quando escrevi o primeiro post sobre ambiente preparado e Ikea que podem ler aqui, não comecei por escrever sobre o quarto dos mais pequenos. Nos vários grupos de mães que vou acompanhando no Facebook (que não específicos sobre Montessori), a primeira questão que a maioria coloca é onde encontrar a famosa cama casinha para se construir um quarto montessoriano. E é aqui que, talvez, começa por se ter a abordagem menos adequada a Montessori e a aplicarmos esta pedagogia em nossas casas. Primeiro, convém desmistificar que uma cama em forma de casa, ainda que esteja à altura do chão e permita à criança entrar e sair livremente, não é fielmente Montessori. Trata-se de um modelo de cama de inspiração nórdica e que, por acaso, também tem o colchão perto do chão. Está na moda e muitas marcas vendem-se como sendo Montessori mas convém ter presente que este método se caracteriza, acima de tudo, por uma enorme simplicidade na forma como se prepara ao ambiente para a criança. N…

Ambiente preparado e Ikea...Porque não?

Na semana passada publiquei um breve post em que dava algumas sugestões para os quartos dos mais pequenos a partir de peças do Ikea e da Vertbaudet. Numa manhã a caminho do trabalho, fui presenteada com o novo catálogo dessa catedral de decoração que é o Ikea e lancei uma pergunta na página do Facebook que foi muito bem recebida. E que pergunta era essa? Gostariam de ver um post em que juntasse Montessori e o novo catálogo que recebi?  Dada a curiosidade com esta minha ideia, aqui estou eu a colocá-la em prática...
Mas primeiro vamos ver o que é o ambiente preparado pois afinal de contas é esse o título deste post, não é verdade? Para quem conhece a pedagogia Montessori,  o ambiente preparado surge como uma parte fundamental desta pedagogia: o ambiente deverá estar adequado à criança,  seja pela sua idade ou tamanho, e as seus interesses, ao mesmo tempo que promove a sua autonomia, permitindo que se desenvolva ao seu ritmo e sem pressões ou interferência dos adultos.
Apesar de não s…