Avançar para o conteúdo principal

O bebé nasceu... Yeahhh!! Acabaram as consultas da mãe!!!

Durante a gravidez, são algumas vezes aquelas em que vamos ao médico para ver como o nosso bebé se está a desenvolver. Fazemos análises ao sangue e algumas ecografias. Se a nossa gravidez for considerada de risco por algum motivo, estas visitas ao senhor doutor serão mais algumas mas tudo pela melhor razão do mundo. Entretanto passam-se as 40 semanas (mais dias menos dias, conforme a gravidez), o nosso bebé nasce e pensamos... "Ufa! Acabaram-se as idas ao médico e finalmente vou poder ter paz e sossego!".

Pois... Mas não é com o parto que termina a vigilância da mãe... Entre as 4 e 6 semanas após o parto, devemos regressar ao consultório do nosso ginecologista/obstetra para fazermos a consulta de revisão do pós-parto ou consulta do puerpério. O puerpério corresponde ao "período de 6 a 8 semanas pós-parto durante o qual o corpo sofre uma série de alterações para retornar ao estado pré-gravidez" (Fonte: Mãe me quer - O que é o puerpério?). A data da realização da consulta de revisão do pós-parto depende do tipo de parto que a mãe teve: se tiver sido parto normal, a consulta ocorre entre as 4 e as 6 semanas, sendo que se tiver sido por cesariana esta consulta ocorrerá entre as 6 e as 8 semanas após o parto (Fonte: Mãe me quer - Consulta de revisão após o parto). Sendo breve, nesta consulta será realizado um exame pelo médico para verificar se a recuperação do parto está a decorrer como esperado para o tipo de parto realizado, serão abordadas algumas questões sobre o método contraceptivo a utilizar nesta fase bem como serão esclarecidas algumas questões relacionadas com a chegada do bebé e a forma como está a decorrer o pós-parto e a nova realidade familiar. No entanto, nem todos os profissionais de saúde incluem nesta consulta a avaliação de uma componente muito importante para a nossa recuperação no pós-parto e estou a falar da avaliação da diástase abdominal, que surge fruto da distensão que os músculos abdominais sofrem durante a gravidez com o aumento da barriga durante 9 meses. Uma boa recuperação dos músculos abdominais no pós-parto passa pela realização de abdominais hipopressivos, que podem ser realizados logo desde o parto, e que irão contribuir para que os músculos abdominais regressem ao seu estado pré-gravidez.

No meu pós-parto, e para além da consulta do puerpério, realizei igualmente uma consulta para avaliação dos músculos abdominais e pavimento pélvico. Se existem algumas mulheres que, após o parto não regressam para a consulta de revisão do pós-parto, muitas mais serão aquelas que não realizam uma avaliação deste tipo com um fisioterapeuta especialista em saúde da mulher e que será fundamental para a recuperação do nosso corpo numa fase em que ainda estamos a passar por profundas alterações e em que as hormonas começam a espreitar e em que podem ter um efeito que não desejamos... Na sequência do post escrito em conjunto com a Estefania Garcia sobre a dor pélvica que pode surgir durante a gravidez e formas de a tratar, desafiei-a novamente a falar-nos um pouco do que deve ser esta avaliação no pós-parto e de como ela é importante para a prevenção de problemas futuros.

Muito obrigada, Estefania, por mais esta preciosa colaboração aqui no Happy Mom descomplicada!


A IMPORTANCIA DA RECUPERAÇÃO NO PÓS PARTO

Durante a gravidez, os músculos abdominais e do pavimento pélvico distendem e alteram a sua biomecânica e fisiologia, facilitando o aparecimento de disfunções do sistema urinário e/ou ginecológico, trazendo consigo, muitas vezes, sentimentos de vergonha e desconforto, levando a que muitas  mulheres não procurem ajuda. 

A principal causa destas alterações resulta do aumento da pressão intra-abdominal e da fraqueza dos músculos do pavimento pélvico, que se situam na zona inferior da bacia e podem conduzir a:

  • prolapsos uterinos,
  • sensação de peso vaginal,
  • desconforto,
  • obstipação,
  • incontinência urinária, 
  • falta de firmeza vaginal durante as relações sexuais, entre outros…

Hoje existem técnicas específicas e globais para tratar estas disfunções que devem ser diagnosticadas e tratadas de forma correta com o objetivo de manter uma boa função fisiológica.

Com a intervenção da Fisioterapia pode-se actuar-se de uma forma preventiva sobre a saúde do sistema urogenital, uma vez que a mulher sofre alterações na sua zona abdominal e genital com a gravidez, o parto, após qualquer cirurgia ginecológica, durante a prática de exercício e na menopausa.

Se já sentiu algum destes problemas ou gostava de avaliar o seu pavimento pélvico ou, simplesmente tem alguma preocupação relacionada com este tema, entre em contato com um fisioterapeuta especializado.

Estefania Garcia
Fisioterapeuta especialista em Saúde da Mulher

Caso pretendam saber mais sobre abdominais hipopressivos, deixo-vos aqui o link para a página da Estefania no Facebook Abdominais Hipopressivos Portugal.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que