Avançar para o conteúdo principal

Ambiente preparado e Ikea... O quarto dos mais pequenos

Propositadamente, quando escrevi o primeiro post sobre ambiente preparado e Ikea que podem ler aqui, não comecei por escrever sobre o quarto dos mais pequenos. Nos vários grupos de mães que vou acompanhando no Facebook (que não específicos sobre Montessori), a primeira questão que a maioria coloca é onde encontrar a famosa cama casinha para se construir um quarto montessoriano. E é aqui que, talvez, começa por se ter a abordagem menos adequada a Montessori e a aplicarmos esta pedagogia em nossas casas. Primeiro, convém desmistificar que uma cama em forma de casa, ainda que esteja à altura do chão e permita à criança entrar e sair livremente, não é fielmente Montessori. Trata-se de um modelo de cama de inspiração nórdica e que, por acaso, também tem o colchão perto do chão. Está na moda e muitas marcas vendem-se como sendo Montessori mas convém ter presente que este método se caracteriza, acima de tudo, por uma enorme simplicidade na forma como se prepara ao ambiente para a criança. Não quero com isto dizer que se optarem por ter uma cama em forma de casa, estão a fazer errado. Nada a ver! Convém é não reduzir Montessori e o ambiente preparado a ter uma cama em forma de casa no quarto da criança e não pensar nas restantes divisões da casa. Se quiserem saber um pouco mais sobre como preparar o quarto seguindo a pedagogia Montessori, podem ler este interessante artigo de Montessori on the double: os princípios básicos de uma cama no chão - The basics of floor bed (e que descobri numa partilha da autora da página do Facebook Speech in love).

Depois desta breve explicação quanto à cama no chão vs. cama em forma de casinha, aqui vos deixo as minhas sugestões para um quarto de inspiração Montessori construído a partir do novo catálogo da Ikea. Espero que gostem!


QUARTO

Um quarto Montessori é um quarto simples onde a criança pode explorar diferentes realidades através, por exemplo, da criação de pequenas áreas dedicadas a actividades específicas (ex. música, pintura, leitura). Aqui ficam algumas das minhas escolhas que podem ser combinadas com alguns dos artigos que eu escolhi para a sala no primeiro post que escrevi com escolhas sobre ambiente preparado na sala



Antes de mais nada, há que pensar na área de descanso em que é desejável que a criança possa ser autónoma para entrar e sair da cama. As minhas escolhas para a cama são três: a cama KURA, a cama SNIGLAR ou a cama-gavetão SVARTA. Todas elas ficam com o colchão numa posição baixa que permitem o fácil acesso da criança, permitindo o desenvolvimento da sua autonomia. No caso da cama SNIGLAR, aqui podemos ter de ser algo inventivos e torná-la mais baixa, retirando os seus pés mas nada que um pai com jeito para a bricolage não resolva.

Depois, há que criar um recanto sereno para as leituras dos mais pequenos. Para este recanto, deixo as sugestões da estante FLISAT ou a arrumação de parede FLISAT (no post sobre a sala, também sugeri a arrumação de parede BEKVAM), que podem complementar-se com uns almofadões confortáveis no chão. Aqui o que importa é criar uma solução que permita à criança aceder facilmente e sozinha aos livros que pretende manusear. Ao mesmo tempo, pretende-se que a estante dos livros não seja demasiado grande para que se possa promover a rotação dos livros que são oferecidos à criança, permitindo assim que não exista uma saturação quanto aos temas que se partilham com a criança no seu recanto de leitura.

Para um recanto de brincadeira e de pintura, pode colocar-se a mesa FLISAT (que eu já havia mostrado no post anterior). Outras opções de mesa são a LATT (que já traz duas cadeiras) ou a SUNDVIK. Em complemento, há que criar soluções de arrumação como as que o sistema de arrumação TROFAST proporciona, como este exemplo de pinho na versão com prateleiras para que os objectos estejam disponíveis e acessíveis à criança. Pode também optar-se pelo carrinho de arrumação FLISAT. Neste recanto, podem colocar-se brinquedos de madeira adequados à idade da criança que promovam o desenvolvimento da sua coordenação e motricidade. A minha sugestão é a gama de brinquedos MULA.  

Outro ponto importante que importa desenvolver na criança é a sua autonomia na hora de vestir. Para isso, poder-se-á colocar um conjunto de cabides (este aqui da gama FLISAT é um exemplo) à altura da criança onde ela poderá colocar os seus casacos quando chega a casa, por exemplo. Outra opção também passará por colocar a roupa da criança numa parte mais baixa do roupeiro que exista no quarto, tanto em cabides como em soluções de arrumação em que a roupa esteja dobrada (aqui em casa temos esta opção da gama SLAKTING de três compartimentos, existindo também a opção com cinco compartimentos, um para cada dia de escola).


Estas são apenas algumas da sugestões que podem ser utilizadas no quarto dos mais pequenos. Não inclui aqui sugestões de cómodas para arrumação de roupa ou de trocador. Acho que a cómoda é sempre mais fácil de encontrar e quanto ao trocador, se soubesse o que sei hoje, acho que não tinha vindo nenhum morar cá para casa. Muitas outras opções poderia ser escolhidas no Ikea ou em qualquer outra loja de mobiliário. Deixo-vos aqui um ponto de partida mas pesquisem e voem por vocês também. Montessori é um maravilhoso mundo de partida em que gosto de estar mas também de imaginação e descoberta de cada um por isso não existe um modelo infalível para um quarto Montessori. Acima de tudo, deixo-vos o conselho de lerem bastante sobre o método antes de começar a pensar no ambiente preparado em vossa casa para que possam criar aquele mais adequado possível aos vossos filhos.

Caso tenham outras sugestões para juntar a estas, partilhem comigo aqui nos comentários ou na página do Facebook da Happy Mom descomplicada!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que