Avançar para o conteúdo principal

A pitada do Pai: quem precisa de inspiração para cozinhar?

Quando chega a hora de iniciarmos a diversificação alimentar dos nossos filhotes, inicia-se uma aventura pelo mundo das sopas mais variadas, das papas e da necessidade de termos receitas variadas para proporcionarmos diferentes de sabores e texturas às nossas crianças. A diversificação alimentar do meu filhote iniciou-se por volta dos seis meses e por aqui já escrevi sobre a preocupação que tenho com a alimentação dele. Por exemplo, no Natal, teve direito ao seus próprios doces. Também já falei por aqui da relação que pode existir entre Baby Led Weaning e Montessori e ainda como é possível descomplicar na hora da alimentação da criançada.

Por volta dos seis meses do baby boy, iniciou-se também a descoberta de diversos blogs sobre alimentação infantil. De todos, existe um em que um pai se dedica a imaginar receitas e chama-se A Pitada do Pai. Recentemente, o Rui Marques levou um pouco mais além o projecto do seu blog e foi recentemente publicado o livro A Pitada do Pai, que já está disponível nas livrarias. Como gosto de conhecer um pouco melhor todos os projectos relacionados com crianças, desafiei o Rui para uma mini entrevista aqui no blog. Espero que gostem do resultado!

A PITADA DO PAI - O PAI POR DETRÁS DO PROJECTO



1. A Pitada do Pai é um nome que todos os pais e mães já conhecem. Mas como nasceu A Pitada do Pai?
Tenho um filho, o Lourenço, e quando chegou a altura de introduzir a alimentação complementar, nasceu também a preocupação de lhe dar a melhor alimentação possível, tendo em conta diversos aspectos. Queríamos que a sua alimentação fosse o mais variada possível, equilibrada em que todo o tipo de alimentos processados e açúcares não entraria. Da nossa interacção com outros pais, descobrimos que esta era uma preocupação mais comum do que estaríamos à espera e assim surgiu, em 2016, A Pitada do Pai. Com o crescimento do blog, veio depois a possibilidade de escrever um livro e poder assim entrar em casa das pessoas com as nossas opções saudáveis.

2. Olhando para o seu blog, a variedade de receitas é enorme e deve ser difícil escolher. Como sugestão para os pais lá de casa e tendo presente a preocupação com a alimentação saudável, quais são as receitas que sugere para os pais que descobriram agora A Pitada do Pai?
Conforme já referi antes, uma das minhas principais preocupações enquanto pai era oferecer ao meu filho receitas em que não existissem açúcares ou ingredientes demasiado processados. Pensando que a oferta de alimentação para criança é enorme e que, quase sempre, essa oferta está em embalagens com quantidades de açúcar que nem um adulto deveria ingerir, acho que as receitas que sugeriria seriam as de papas caseiras e as de sobremesas saudáveis mas fáceis de fazer.

3. Errar é humano. Juntando a isto, as recomendações para a alimentação das crianças parecem nem sempre ser consensuais e isso pode levar os pais por vias que nem sempre são as melhores. Quais acha que são os principais erros que os pais cometem quando iniciam a diversificação alimentar?
Antes de mais, não deixarmos as crianças comerem sozinhas. Não as deixarmos manipular os alimentos, descobrirem por si e comerem ao seu ritmo, sem a pressão dos adultos. Depois, andarmos sempre a correr e dizermos que não temos tempo para cozinhar. É necessário ir para a cozinha experimentar sabores e ingredientes com os quais faremos receitas saudáveis. E, acima de tudo, darmos o exemplo: se não ingerirmos legumes e se a criança nos vê comer outras opções menos boas, não podemos esperar que a criança vá aceitar facilmente os legumes à refeição. 

Muito obrigada ao Rui por ter aceite partilhar um pouco connosco do seu mundo de A Pitada do Pai. Esperemos que o blog e o livro continue a ser um sucesso!





Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que