Avançar para o conteúdo principal

Livros que não fogem à realidade

Esta semana publiquei uma foto com os últimos livros que comprei para o filhote na Com Alma e sugeriram-me uma partilha sobre estes livros que se enquadram em livros de inspiração Montessori.


Os livros e a existência de um cantinho de leitura segundo Montessori são muito importantes, sendo uma das áreas que se sugere que exista em casa, permitindo à criança que seja ela a escolher livremente os livros que pretende folhear em cada momento. Num cantinho de leitura Montessori, não deve haver um número demasiado elevado de livros disponíveis, devendo antes do adulto preparado optar por fazer uma rotatividade dos livros num determinado período (uma semana, livros associados com as estações do ano ou com efemérides, por exemplo). Conforme podemos ler no blog Mindful Montessori sobre o cantinho de leitura de inspiração Montessori: "Maria Montessori atribuía uma grande importância ao contacto das crianças com os livros, e à aprendizagem precoce da leitura, de um modo natural e sem pressões. O canto da leitura deve, por isso, ser pensado de forma a ser prático, por um lado, e atrativo, por outro lado. Deve ser um espaço calmo na casa ou na escola, que convide à exploração dos livros". Outro pormenor importante a ter em conta num cantinho de leitura de inspiração Montessori é que, nos primeiros anos, se devem evitar os livros que não espelhem a realidade. Pelo menos até aos seis anos, devem evitar-se os livros em que surja demasiada fantasia e animais falantes, por exemplo, para permitir à criança a construção do seu mundo e do conhecimento da realidade que pode encontrar todos os dias.

A pensar no cantinho de leitura do meu filhote que, nesta fase, se encontra no quarto dele, tenho vindo a comprar alguns livros de temáticas variadas. Ainda que nem todos os livros que tenho já comprado para ele sejam para as suas "leituras" com apenas 15 meses, tenho comprado já livros a pensar no futuro, tais como os que surgem nesta foto. E agora vou escrever-vos um pouco sobre o que me levou à escolha destes livros.


O QUE ME FAZ FELIZ

O livro "O que me faz feliz", de Joana Cabral e Margarida Teixeira (Editora Máquina de Voar) retrata acontecimentos de todos os dias, vistos pelos olhos de uma criança, e que são coisas simples com que todas as crianças se podem deparar nos seus dias, sem fantasias, e que os podem fazer sorrir facilmente. Gostei muito das ilustrações simples, alegres e serenas deste livro e gostei particularmente de permitir mostrar aos mais pequenos que se pode sorrir sem grandes coisas. Sem ter de se ter obrigatoriamente presentes de valores astronómicos e que acontecimentos tão simples como andar a brincar à chuva ou ouvir música no carro a cantarolar com os pais pode fazer uma criança ganhar o dia e permitir-lhe construir as melhores recordações da sua infância!


QUANDO A MÃE ERA PEQUENA

Vivemos numa era da tecnologia em que é fácil chegar a todo o lado e obter informação muito facilmente a partir do outro lado do mundo. Os écrans são touch e podemos guardar no nosso telefone toda a nossa vida, seja a nível familiar ou de trabalho. O livro "Quando a mãe era pequena", de Joana Cabral e Margarida Teixeira (Editora Máquina de Voar) permite-nos mostrar aos nossos filhos como eram os dias da nossa infância, em que a televisão tinha apenas quatro canais para ver, em que não havia e-mails para enviar os convites de aniversário, em que se brincava na rua durante tardes inteiras e em que o único telefone que exista em casa era um e estava preso à parede por um fio. Numa altura em que as nossas crianças vivem rodeadas de tecnologia (e em que nos cabe, enquanto pais, moderar o seu acesso a ela), achei muito bonito poder mostrar, em livro, ao filho que a realidade nem sempre foi assim e que eu ainda sou do tempo dos cartões de telefone para ligar a partir de uma cabine telefónica na rua. A realidade de outros tempos contada em livro de forma simples e muito bonita.


A MINHA MÃE É PROFESSORA

Irina Melo e Carla Jorge, com a ilustração de Catarina Correia Marques, explicam aos mais pequenos, no seu livro "A minha mãe é professora" (Editora Máquina de Voar), de uma forma muito simples, como é a profissão de se ser professora. Privilegiando as peripécias e a diversão mostram aos mais pequenos como é o dia-a-dia de uma professora na escola e como ela ensina outros meninos a tabuada ou a ler. Sem grandes complicações e porque a nossa profissão é sempre a melhor do mundo para os nossos filhos, achei este livro muito interessante para quem tem pais professores e que permite mostrar-lhes como é a vida daquelas pessoas com quem convivem todos os dias e que lhes mostram o mundo a partir dos livros e das actividades que preparam para eles diariamente.


Sobre o livro "365 pinguins", de Jean Luc Fromental e Joelle Jolivet, escreverei um pouco mais tarde. Este livro é uma lição de matemática dada de forma divertida e mostrando também um pouco de ecologia.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que