Avançar para o conteúdo principal

Todos temos o nosso momento wake up...

Vidas a correr. Desde que nos levantamos até que regressamos à cama, já noite dentro, andamos numa correria desenfreada para conseguir dar resposta a tudo aquilo que temos na "to do list" do dia... Família, trabalhar, cuidar da casa, estudar (para quem for louca como eu e tiver a coragem de se meter num doutoramento), visitas aos familiares ao fim-de-semana, jantares com os amigos, idas às compras... Enfim, acho que poderia ficar aqui o resto do dia e a lista não ficava terminada...

Nos dias de hoje, tudo anda nas rotações mais alta. Parece que o tempo nos escorre mais rápido pelos dedos do que a areia da praia. Nada espera por nós. Parece que os fins-de-semana terminam ficamos sempre com aquela sensação de que não fizemos nada e o tempo passou a correr!

Mas tudo isso abranda e temos a consciência de que é preciso entrar num modo mais calmo quando temos um wake up call... E isso aconteceu-me na semana passada... Algo que me fez repensar, que me fez ter receio, que me fez ver que as coisas pequeninas do dia-a-dia não têm a menor importância e temos mais é que investir naquilo que verdadeiramente interessa: família e amigos. São eles que vão lá estar quando precisamos, quando houver nuvens no horizonte e parece-nos perdidos nomeio da tempestade. São eles que nos vão iluminar o caminho de regresso e ter a capacidade de dizer que está tudo bem. Não quero uma vida em acelerado para mim, uma vida que me faça perder o que de melhor o mundo me deu e aquilo que faz o meu coração palpitar e sorrir todos os dias: os meus dois homens e todo o amor que tenho por eles. Porque não quero nunca deitar-me com a impressão de que ficaram coisas importantes por dizer ou por fazer. Não quero arrependimentos um dia mais tarde. Não quero a sensação do "E se?".

Há que abrandar... Há que acertar a bússola... Para que não perca nada de nada do que se passa à minha volta...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data. 
Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu?

Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento com cerimón…

Ambiente preparado e Ikea... O quarto dos mais pequenos

Propositadamente, quando escrevi o primeiro post sobre ambiente preparado e Ikea que podem ler aqui, não comecei por escrever sobre o quarto dos mais pequenos. Nos vários grupos de mães que vou acompanhando no Facebook (que não específicos sobre Montessori), a primeira questão que a maioria coloca é onde encontrar a famosa cama casinha para se construir um quarto montessoriano. E é aqui que, talvez, começa por se ter a abordagem menos adequada a Montessori e a aplicarmos esta pedagogia em nossas casas. Primeiro, convém desmistificar que uma cama em forma de casa, ainda que esteja à altura do chão e permita à criança entrar e sair livremente, não é fielmente Montessori. Trata-se de um modelo de cama de inspiração nórdica e que, por acaso, também tem o colchão perto do chão. Está na moda e muitas marcas vendem-se como sendo Montessori mas convém ter presente que este método se caracteriza, acima de tudo, por uma enorme simplicidade na forma como se prepara ao ambiente para a criança. N…

Ambiente preparado e Ikea...Porque não?

Na semana passada publiquei um breve post em que dava algumas sugestões para os quartos dos mais pequenos a partir de peças do Ikea e da Vertbaudet. Numa manhã a caminho do trabalho, fui presenteada com o novo catálogo dessa catedral de decoração que é o Ikea e lancei uma pergunta na página do Facebook que foi muito bem recebida. E que pergunta era essa? Gostariam de ver um post em que juntasse Montessori e o novo catálogo que recebi?  Dada a curiosidade com esta minha ideia, aqui estou eu a colocá-la em prática...
Mas primeiro vamos ver o que é o ambiente preparado pois afinal de contas é esse o título deste post, não é verdade? Para quem conhece a pedagogia Montessori,  o ambiente preparado surge como uma parte fundamental desta pedagogia: o ambiente deverá estar adequado à criança,  seja pela sua idade ou tamanho, e as seus interesses, ao mesmo tempo que promove a sua autonomia, permitindo que se desenvolva ao seu ritmo e sem pressões ou interferência dos adultos.
Apesar de não s…