Avançar para o conteúdo principal

Amamentação. Sem fundamentalismos.

Amamentar. É talvez, nesta coisa da maternidade, a questão que mais exalta os ânimos, em que as opiniões mais divergem e sobre a qual muitas mães sofrem em silêncio.
Amamentar. O acto de alimentarmos o nosso filho sempre que ele necessita. O acto de sermos capazes de satisfazermos as suas necessidades nutricionais e não só, já que amamentar é também dar colo e conforto.
Amamentar ou não é uma decisão que apenas à mulher cabe ter. Muito se fala sobre o leite fraco e sobre a necessidade recheada de pressões de se ter de introduzir o suplemento. As recomendações da Organização Mundial de Saúde apontam para a amamentação em exclusivo até aos seis e, de forma complementar, até aos dois anos. Esta será a melhor opção para os nossos bebés. Muitas mães não a seguem e muitos pediatras recomendam a introdução da alimentação complementar aos quatro meses. Muitas mães não conseguiram amamentar pelos mais diversos motivos: porque lhes disseram que não tinham leite, porque as pressionaram constantemente de que os seus bebés estavam a passar fome por o seu leite ser fraco ou porque, simplesmente, porque optaram secar o leite. Sem fundamentalismos... A decisão de amamentar cabe a cada mulher mas deve ser o máximo informada e apoiada por técnicos especializados. Não deve nunca ser uma decisão tomada de ânimo leve.
Nem tão pouco ser uma decisão tomada sozinha...
Ao fim de quase 15 meses de vida do meu bebé, ainda amamento. Nunca pensei chegar a este marco. Quando fui trabalhar, aos cinco meses, confesso que pensei que iria deixar de amamentar pelo simples facto de não passar tantas horas com o meu bebé. Pensei que ele iria desinteressar-se e que o biberão iria alterar as suas rotinas e os nossos momentos a dois. Tive as minhas dúvidas, as minhas incertezas... E houve momentos em que pensei que não iria conseguir...
Mas foi aqui, tal como desde o momento do nascimento, que tive a ajuda do meu maior aliado. O pai do meu bebé tem sido fundamental para o sucesso da nossa amamentação. Sem ele, os momentos mais difíceis poderiam ter sido determinantes para eu desistir. Ele esteve lá e apoiou sempre. Foi o meu pilar. O papel do homem também é fundamental para amamentar. É ele que nos massaja as costas quando precisamos. Que está nosso lado quando alimentamos o nosso filho. Que nos ajuda a cuidar de nós e a descansar para estarmos bem. É um trabalho em equipa para o maior bem que podemos dar ao nosso bebé: o seu bem-estar.
Independentemente se fazem amamentação em exclusivo ou não, as razões não interessam, o que interessa é que exista uma rede de apoio para a mulher que lhe permita dar o melhor do mundo ao seu bebé!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dicas e sugestões... Tornar o Dia do Pai mais especial!

É impressionante como ainda ontem estávamos a comemorar a entrada no novo ano e já andamos por aqui a pensar nas sugestões mais engraçadas para o Dia do Pai. O ano avança bem rapidamente e já é tempo de pensarmos no miminho que os nossos filhos vão dar ao homem que escolhemos para pai deles. Enquanto os nossos filhotes ainda não conseguem ter voto na matéria e sugerir aquilo que querem oferecer ao pai, cabe-nos a nós, verdadeiras mães malabaristas do século XXI, abraçar mais esta tarefa e descobrir aquela lembrança que vai tornar o Dia do Pai mais especial.
Sou apologista que não devemos comprar nada apenas porque sim. Existem homens que não ligam muito a ofertas e a prendas, outros que são esquisitos e que parecem não gostar de nada, outros ainda que se fecham em copas quanto ao que gostam ou ao que precisam e existem ainda aqueles que não gostam destas "mariquices" (como eles próprios lhes chamam) das lembranças do Dia do Pai que acabam por ficar fechadas numa qualquer ga…

My Little Love: A vossa festa com amor!

O mês de Maio é um mês muito doce no que toca a comemorações aqui em casa. O próximo mês de Maio assinala o primeiro aniversário do meu casamento e o segundo aniversário do meu filhote. Apesar de ainda faltarem dois meses para o dia da festa, por aqui os preparativos já começaram. A checklist da festa de aniversário já está impressa. Já se começou a pensar nas possíveis lembranças para os amiguinhos e já andámos a espreitar as lojinhas de artigos de decoração para ver as novidades. 
Mas festa que é festa, daquelas para ser memorável, pede a ajuda de quem conhece o mundo das festas e da organização de eventos melhor do que ninguém. E é assim que vos venho falar da My Little Love. Se procurarem por organização de festas de aniversário, a oferta é imensa por essa Internet fora. Ao escolherem quem estará a colorir a vossa casa para um dia especial deixo-vos a dica de procurarem alguém com quem tenham criado empatia facilmente. A My Little Love tem como lema "divirtam-se que nós trat…

A ajudar na autonomia do bebé cá de casa

Lembram-se do post que partilhei com dicas de como construir um ambiente preparado em casa na cozinha e na casa-de-banho? Pois bem, aquelas eram sugestões,  dicas para quem tem curiosidade sobre o mundo Montessori ou que apenas queira tornar as difeeentes partes da sua casa um pouco mais amigas das crianças.  Mas se vocês forem como eu, devem ter sempre curiosidade em saber como é que quem escreve num blog acaba por fazer este tipo de coisas em sua casa. Somos seres humanos curiosos, não é verdade?
É inegável com o ikea consegue mesmo ser o nosso melhor amigo quando queremos fazer pequenas mudanças em casa. E por isso, é claro que foi aqui que encontrei duas soluções simpáticas para tornar a rotina diária da higiene do meu baby boy mais fácil para ele, proporcionando-lhe autonomia agora que tem 18 meses. 
As nossas casas estão feitas para os adultos.  Tudo está a uma escala demasiado grande para os mais pequenos. Juntamente com a sua vontade de serem independentes e de fazerem por si…