Avançar para o conteúdo principal

Ambiente preparado e Ikea... E a cozinha e o WC?

Pensavam que já me tinha esquecido do último post sobre sugestões IKEA para o vosso ambiente preparado em casa? Nada disso! Depois de ter escrito sobre sugestões para a sala e para o quarto dos mais pequenos, é chegado o momento de escrever sobre a cozinha e o WC. Confesso que nem sempre nos lembramos destes dois espaços pois não são aqueles em que passamos mais tempo em família (tirando a cozinha...), mas quando se pensa em ter espaços a pensar nos mais pequenos é impossível nos os incluir. A cozinha porque, na minha opinião, não devemos vedar este espaço aos mais pequenos. Apostando em soluções seguras, devemos permitir-lhes que estejam connosco neste espaço e que possam ir partilhando pequenas tarefas connosco tornando, por exemplo, o momento da preparação das refeições tempo de qualidade em família. Bem sei que isso nem sempre é possível durante a semana, quando andamos mais a correr, mas devemos ter as condições para que as crianças encarem este momento como mais um espaço de partilha com os pais e o resto da família. Depois, o WC também é importante pois conseguimos proporcionar à criança autonomia no momento de realizar a sua higiene, por exemplo, lavando os dentes em conjunto com ela e proporcionando-lhe as condições para que possa lavar as suas mãos sozinha, tal como nós fazemos.

Vamos lá então?

COZINHA

Este é, provavelmente, um dos espaços de que temos mais receio com as nossas crianças. Porque é lá que estão o fogão e o forno e não queremos as mãozinhas pequeninas escaldadas. Porque temos, muitas vezes e quando não existe uma despensa separada, produtos químicos de limpeza que são tudo menos benéficos para quem quer que seja. Porque temos facas que utilizamos para preparar a comida e porque temos os nossos pratos, que tanto adoramos, e que se podem partir... Bem, será que não estamos a ver tudo isto da perspectiva que não devemos? Como em tudo na vida, se formos habituados desde cedo a estar nos espaços (com supervisão de um adulto) e a manusear os objectos sem vozes a incutirem-nos medo, poderemos crescer sem fazer (muitas) asneiras e sentindo todos os espaços da cada como nossos. 

Por exemplo, cá por casa e do alto dos seus 17 meses de idade, deixamos o bebé ajudar a retirar a loiça da máquina juntamente connosco. Deixamos também que ele ajude a colocar a roupa na máquina. Sentimos que ele quer fazer algo de útil e com um sentido de ordem, como ele nos vê fazer a nós. Deixamos também ajudar a arrumar as compras, naqueles artigos que não existe risco de se magoar. Depois, temos também a gaveta mais baixa disponível para as coisas deles (pratos e tigelas em melamina, copo da água) para que, passo a passo, possa ele também ajudar a preparar e a colocar na mesa. Se o forçamos? Nada disso! Enquanto pais, estamos atentos aos pequenos sinais que ele nos dá e deixamo-lo explorar, sempre lado a lado.
Podemos também criar, caso a cozinha o permita, um espaço para a criança poder começar a manusear alguns alimentos e líquidos, utilizando uma das mesas de crianças que o IKEA dispõe (por exemplo, as mesas FLISAT, LATT ou MAMMUT, que possuem tampo em plástico e facilmente lavável). Depois, para permitir que a criança chegue à bancada da cozinha existe o banco para criança FORSIKTIG (que também pode ser usado na criança) ou o escadote BEKVAM, tratando-se de crianças já mais velhas e para as quais já não existe o problema do equilíbrio ou de caírem facilmente. Para as mais pequenas, faz mais sentido utilizar uma torre de aprendizagem. O que é? Basicamente, é uma estrutura que permite à criança, de forma autónoma e segura, poder aceder à bancada da cozinha sem ajuda do adulto, permitindo-lhe ver de perto o que os adultos estão a fazer e até começar a tocar e a descobrir os alimentos (para saberem mais, podem ler este artigo da Mamãe Tagarela sobre as torres de aprendizagem em Montessori). Estas torres podem ser adquiridas online (em Portugal, o Aterlier Montessori também vende). Onde entra o IKEA aqui? O escadote BEKVAM é dos mais utilizados para construir torres de aprendizagem em modo DIY, consultem o You Tube e irão encontrar imensos vídeos explicativos.

E como cozinhar não se faz sem avental, o IKEA tem também alguns destinados especialmente aos mais pequenos, como o TOPPKLOCKA, o TYDLIG ou o MALA (que também pode ser usado nos momentos mais artísticos de pinturas em casa ou na escola). Para ideias para cozinhar em família, sugiro o livro de receitas HEMBAKAT, por exemplo. Para os mais pequeninos ajudarem na hora de preparar um bolo, por exemplo, podem utilizar a base de silicone SOCKERKAKA ou outro dos artigos em silicone também disponíveis aqui.


CASA DE BANHO

Bem, aqui a ideia do ambiente preparado passa por permitir à criança aceder facilmente à zona onde fazer a sua higiene e as seus produtos, adequados a cada etapa do desenvolvimento. Para tornar os produtos de higiene acessíveis, nada melhor do que o sistema de arrumação de WC LADDAN. Sem necessidade de furos nas paredes graças a um sistema de ventosas, a criança pode aceder aos seus objectos, estando à sua altura sem ter de depender de um adulto para se pentear ou lavar os dentes.

(Sistema LADDAN - Foto IKEA Portugal)

Para pendurar as toalhas dos mais pequenos e o roupão de banho podem ser utilizados os cabides LOSJONN. Para as crianças acederem ao lavatório, tal como para a bancada da cozinha, pode ser usado o banco para criança FORSIKTIG.


E aqui fica um resumo das minhas escolhas.


Estas são algumas das minhas sugestões e assim termina o conjunto de posts sobre ambiente preparado com artigos do IKEA. Como a imaginação é o limite, claro que poderão existir outras sugestões, por isso todas as dicas da vossa parte são bem vindas! Vamos tornar as nossas casas mais amigas das crianças, permitindo-lhes estar connosco em todos os momentos e promovendo o seu desenvolvimento e a sua autonomia. Tenham um dia muito feliz!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Quarto de bebé: o nosso pequeno mundo!

Durante a gravidez e mesmo depois de sermos mães, o quarto do bebé deve ser um dos locais onde passamos mais tempo e um dos quais dedicamos maior atenção na nossa casa. Se durante a gravidez, a preocupação é decorar o quarto com todos aqueles pequenos detalhes que o tornem especial e único (sem que isso seja, obrigatoriamente, sinónimo de funcionalidade), depois de sermos mães e de percebermos aquilo que o nosso bebé e nós precisamos para as diferentes parte do dia, o quarto de bebé acaba por ir sofrendo algumas adaptações ao longo do tempo. O tema do quarto de bebé não é novo aqui no blog. Se a memória não me falha, já escrevi por aqui sobre pequenas sugestões para criar um refúgio para crianças felizes , já me inspirei na IKEA Portugal para vos dar sugestões de como criar um ambiente preparado Montessori-friendly no quarto dos mais pequenos e já escrevi também por aqui sobre como não deve faltar muito para haver algumas mudanças no quarto do baby boy neste início de 2018 . Passa