Avançar para o conteúdo principal

Brinquedos... Que brinquedos?

Brinquedos... Esse mundo imenso e colorido em que podemos perder o rumo, qualquer que seja a idade da criança...

Acho que raro deve ser o pai ou a mãe que não se perde quando entra numa loja de brinquedos. As ofertas são mais do que variadas, coloridas, musicais e atractivas e acaba sempre por ser uma tarefa mais ou menos complicada escolher qual o brinquedo a levar para casa. Ou somos realmente muito focados e entramos na loja com um objectivo muito bem definido ou facilmente nos afastamos do que íamos buscar e acabamos por levar para a caixa para pagar um qualquer outro brinquedo. Nos dias de hoje, as opções são mais do que variadas e temos à nossa disposição diferentes tipos de brinquedos, em diferentes tipos de materiais, para oferecermos aos nossos filhos e ajudarmos no seu desenvolvimento.

Olhando para as prateleiras, a maior oferta é de brinquedos de plástico, muito coloridos, mas que acabam por perder uma parte muito importante: a de serem feitos por materiais de diferentes texturas que estimulem sensorialmente aos mãos do mais pequenos. E depois, escondidos quase no submundo das lojas de brinquedos, surgem os brinquedos de madeira, quais renegados do mundo da diversão. Mas olhando bem para estes objectos, com aspecto mais artesanal, temos diante de nós uma melhor alternativa para as nossas crianças. Habitualmente, os brinquedos de madeira acabam por ser associados a brinquedos mais educativos, com finalidades específicas de desenvolvimento infantil, pois habitualmente são concebidos focando-se no desenvolvimento cognitivo dos mais pequenos, estimulando a sua aprendizagem e permitindo-lhe escolher qual o rumo que pretende para a sua brincadeira. Acabamos por proporcionar as nossas crianças que sejam mais livres para brincar, para imaginar e para construir a sua realidade.

Atenção que não quero com isto dizer que os brinquedos de plástico que existem à disposição não permitem o desenvolvimento dos mais pequenos. O que quero antes dizer é que, da forma como são concebidos, os brinquedos de madeira permitem proporcionar um estímulo diferente, menos direcionado, que faz com que a criança aprenda ao seu ritmo.

Aqui por casa damos preferência aos brinquedos de madeira, talvez porque nós pais, quando eramos crianças, também gostássemos mais destes brinquedos. Esta semana descobri uma marca de brinquedos de madeira, a Plan Toys, que constrói os seus brinquedos de forma sustentável e utilizando materiais não tóxicos para as crianças. Possuem uma oferta alargada que podem encontrar, por exemplo, à venda na Origami Kids ou no El Corte Ingles. Por aqui, escolhemos trazer para casa o xilofone, feito de madeira da árvore da borracha e de tintas à base de água, recomendado a partir dos 12 meses, muito porque o baby boy é muito receptivo a tudo o que são estímulos musicais. Outra particularidade que gostei nesta marca foram os alfabetos, também em madeira, adequados a partir dos dois anos. E o que é que estes alfabetos possuem de diferente? Para além de letras, possuem também o alfabeto em braille e em linguagem gestual. Muito interessante, não acham? Aqui ficam algumas fotos destes alfabetos que poderão ser uma boa opção para brincadeiras e desenvolvimento da linguagem depois dos dois anos.




E a vossa opinião como pais? O que acham dos brinquedos de madeira?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Quarto de bebé: o nosso pequeno mundo!

Durante a gravidez e mesmo depois de sermos mães, o quarto do bebé deve ser um dos locais onde passamos mais tempo e um dos quais dedicamos maior atenção na nossa casa. Se durante a gravidez, a preocupação é decorar o quarto com todos aqueles pequenos detalhes que o tornem especial e único (sem que isso seja, obrigatoriamente, sinónimo de funcionalidade), depois de sermos mães e de percebermos aquilo que o nosso bebé e nós precisamos para as diferentes parte do dia, o quarto de bebé acaba por ir sofrendo algumas adaptações ao longo do tempo. O tema do quarto de bebé não é novo aqui no blog. Se a memória não me falha, já escrevi por aqui sobre pequenas sugestões para criar um refúgio para crianças felizes , já me inspirei na IKEA Portugal para vos dar sugestões de como criar um ambiente preparado Montessori-friendly no quarto dos mais pequenos e já escrevi também por aqui sobre como não deve faltar muito para haver algumas mudanças no quarto do baby boy neste início de 2018 . Passa