Avançar para o conteúdo principal

Hoje sou eu que escolho a roupa!

Escolher a roupa. Aquela tarefa que todas as mães adoram fazer. Os pequenos detalhes. Conjugar cores e as camisolas mais divertidas para os nossos filhotes irem para a escola. No caso das meninas, conjugar os vestidos mais giros com os acessórios para o cabelo parece ser o melhor passatempo que nos surge depois de sermos mães. Mas vai chegar aquele dia em que os nossos bebés vão mostrar que estão a crescer e em que vão querer escolher a sua própria roupa... Numa conjugação nem sempre ortodoxa...

Mas porque não antecipar um pouco esse momento e proporcionarmos nos seus quartos formas de eles poderem aceder à sua roupa mais facilmente? Para quem me acompanha há algum tempo, sabe que gosto bastante da pedagogia Montessori e tudo o que se relaciona com desenvolvermos a autonomia dos nossos filhos desde cedo, permitindo-lhes fazer por eles próprios. Por aqui, já escrevi sobre o livro da Cristina Tébar (blog Montessori en Casa) e a forma como ele mudou a minha forma de encarar a parentalidade. Também já vos mostrei como tenho o WC preparado para o meu filhote poder participar na sua higiene diária, partilhei convosco dicas para os mais pequenos participarem na hora de cozinhar e como podem ter um quarto de inspiração Montessori com produtos da IKEA.

Nem sempre é fácil quebrarmos o cordão umbilical que nos faz querer fazer tudo por eles, mas quanto mais cedo os começarmos a envolver nas pequenas tarefas do dia-a-dia, mais facilitada será a nossa vida no futuro. E como é que podemos fazer isso? Bastam pequenas alterações no nosso dia-a-dia e conseguiremos que eles aprendam a fazer sozinhos (como leituras adicionais sobre Montessori recomendo-vos a página do Facebook de Charlotte Poussin, Apprends-moi a faire seul - com um livro com o mesmo nome, e o blog Mindful Montessori, uma leituras em português de que gosto muito). A alteração que aqui partilho convosco do quarto do meu filhote é a disponibilização das roupas à altura a que ele possa aceder.


No quarto do meu filhote, o roupeiro tem esta parte de colocação de roupa mais baixa, o que facilita o acesso às roupas sem ter de fazer grandes invenções ou alterações no quarto. Claro que não tenho toda a sua roupa disponível neste espaço, mas tento colocar sempre duas ou três peças do mesmo tipo para lhe permitir escolher algo e aceder às suas roupas sem ter de depender de mim. Assim, ele consegue sentir que está a ser envolvido na tarefa de escolher a roupa e de preparar o novo dia e esse sentimento vê-se na felicidade estampada no seu rosto por sentir que está a fazer algo como os adultos. 

Como sei que nem todas as pessoas têm um roupeiro deste tipo, partilho convosco algumas alternativas que tenho no álbum "Quartos Montessori" na minha conta de Pinterest. São opções fáceis de concretizar em casa, que não requerem grande investimento, mas que no futuro trarão os seus frutos com o maior ganho de autonomia dos vossos filhotes. Acreditem que eles conseguem voar... Basta que vocês os deixem abrir as asas e aventurarem-se!


Foto Pinterest


Foto Pinterest


Foto Pinterest


Foto Pinterest




Comentários

  1. Que sugestões ótimas, práticas e mesmo giras...

    Novo post: http://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/2018/01/dream-trip-primeiro-dia-em-bruxelas.html

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Beatriz! Espero que estas ideias e estas dicas lhe sejam muito úteis :) Tenha um dia muito feliz! Beijinho

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que