Avançar para o conteúdo principal

Happy Mom e o Natal

Como me disseram quando o meu pequeno bebé nasceu, "a partir deste dia, a tua vida nunca mais será a mesma!". São daqueles clichés que são ditos a todos os pais e que, na maioria dos casos, são seguidos de um conjunto de pontos negativos que parecem sempre acompanhar a maternidade: menos horas de sono, menos horas livres para nos dedicarmos aos nossos hobbies, menos tempo livre para namorar... Basicamente parece que as 24 horas habituais de um dia se parecem reduzir a umas meras migalhas de minutos... Será mesmo assim?

Eu gosto de encarar a maternidade como algo que nos muda, sim, mas para melhor. Gosto sempre de ver o copo meio cheio e acreditar que ainda o posso preencher um pouco mais. Sentir-me grata pelo que vou alcançando e, quanto aquilo que não consigo alcançar, acreditar que o momento chegará em que será meu.

Aqui vos escrevo numa manhã de 24 de Dezembro em que ainda se dorme aqui por casa. Há um silêncio que me permite tomar o meu pequeno-almoço calmamente e dedicar-me um pouco às minhas divagações que tão bem me fazem. Hoje é véspera de Natal, a primeira que vou passar com o meu bebé. Este ainda será um Natal em que não dará muita atenção às prendas (virá 2017 para o ter a correr à volta da árvore de Natal) mas em que muito já foi pensado em relação a ele. Mas, acima de tudo, este é um Natal de alegria, de realização e de gratidão enquanto mulher. Pelo que consegui alcançar durante este ano, por ter nascido como mãe e por ter evoluído como mulher e companheira. E, acima de tudo, por conseguir fazer felizes e preencher os corações de quem me rodeia. Ser mãe e mulher, com todos os necessários prismas associados, não é tarefa fácil e requer muita organização e dedicação da nossa parte (olha mais um cliché!). Mas é assim que sou feliz: a permitir aos que me rodeiam terem sempre um sorriso nos lábios e poder ver o meu bebé crescer a cada dia e a tornar-se cada vez mais desperto para o mundo.

É assim que vos escreve a Happy Mom nesta manhã de 24 de Dezembro... Grata!

Um óptimo Natal para todos e que esta quadra seja repleta de muita energia positiva, abraços e sorrisos. E muito colinho para os nossos bebés!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que