Avançar para o conteúdo principal

Apareceu uma risquinha rosa... E agora?

A risquinha cor-de-rosa. Aquela que ansiamos que apareça no visor ou, sejamos realistas, temos pânico de a ver pois a última coisa que desejamos naquele momento é ter um bebé a caminho. Sim... Nem todas as gravidezes têm o seu início de forma consciente,  planeada a dois e cheia de planos para o futuro. Existem mulheres para quem dar a notícia de uma gravidez ao companheiro pode significar o fim daquela relação... E nem sempre pensamos nesse momento como ausente de felicidade.

Por aqui, a gravidez foi planeada e muito desejada. Houve lugar a consulta pré-natal para discutir dúvidas e fazer os exames de rotina necessários. Sim, porque a nossa saúde ginecológica determina como tudo irá decorrer antes e durante a gravidez. Este deve ser um ponto importante para todas nós desde muito cedo. Desde a primeira menstruação que deveremos passar a olhar para este sistema tão importante de uma outra forma e a dar-lhe o carinho que ele merece. Quem nunca teve uma amiga a quem o período aparecia muito esporadicamente e, anos mais tarde, veio a ter dificuldades em conseguir engravidar? Os ciclos não são iguais em todas as mulheres mas isso não significa que sejam inexistentes.  Estejam atentas aos sinais do vosso corpo. Ele é sábio a alertar quando alguma coisa não está bem...

Depois surgiram as primeiras suspeitas. Os primeiros receios vividos a dois. E o dia de fazer o teste que viria a mudar a minha vida. A tomada de consciência de que deixaríamos de ser apenas dois para passarmos a três. Confesso que não queria acreditar no teste positivo que tinha diante de mim. O receio de que fosse um falso positivo e estivesse a criar falsas expectativas que poderiam cair por terra daí a uns dias fizeram com que eu me mantivesse racional nesta fase de tanta turbulência nas emoções. Mas não havia mesmo como negar o que estava a acontecer... Havia dentro de mim um pequeno ser que estava a crescer. Um pequeno ser que viria fazer com que eu passasse a ver o mundo de uma outra forma (que cliché, não é verdade?). E não poderia estar mais feliz!

Quem aí desse lado esteja a passar por um momento assim... Tenham calma e desfrutem do bom que é ver uma risquinha rosa surgir num visor. Pensem que irão poder dar o melhor de vocês ao pequeno ser que estão a gerar aí dentro da vossa barriga. Pensem que não é por serem mães que irão deixar de fazer as coisas de que mais gostam... É que certo que todas as vossas rotinas se irão alterar mas não é o fim-de-mundo. Apenas estão a alguns meses de nascerem como mães e de aprenderem a gerir toda uma nova realidade. Os primeiros tempos não serão fáceis, não vale a pena dourar a pílula. Mas tenham sempre presente que a recompensa será sempre maior que os momentos em que as vossas lágrimas possam cair pela vossa cara. Vivam intensamente cada dia destes nove meses... Vai valer a pena!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que