Avançar para o conteúdo principal

Deve ser do aproximar do final do ano...

Vamos lá ao momento cliché do dia... Nunca tiveram aquele momento nas vossas vidas em que tiveram vontade de mudar o rumo? De dar uma volta de 180° nas vossas vidas, atirar tudo para trás das costas e seguir em direcção ao horizonte sem destino definido? Que romântica e que filosófica que eu estou, não é verdade?

Todos temos momentos assim nas nossas vidas e estes pensamentos a surgirem na minha cabeça, deve ser mesmo de nos estarmos a aproximar do final do ano. Há qualquer coisa no aproximar do 31 de Dezembro que nos faz entrar numa roda de resoluções que depois, quase sempre, acabam por cair em saco roto e apenas nos voltamos a lembrar delas passados quase 365 dias...

Estão a ver aquela inscrição no ginásio?  Ou aquela dieta maravilha que iam fazer e que, para isso, encheram a vossa despensa de produtos da Área Viva do Continente? (Não,  isto não é um post patrocinado...) E todas aquelas saídas e telefonemas que tinha imaginado há um ano fazer com os vossos amigos e que nunca aconteceram? Podia estar aqui o resto da noite e acho que não terminava a lista...

Não sei se tem a ver com o facto de ser mãe  (ou do interesse por Montessori e outras pedagogias alternativas), mas confesso que tenho dentro de mim a vontade de mudar muitas, muitas coisas. Temos momentos nas nossas vidas em que precisamos de um clique para passar ao nível seguinte. De uma mudança que nos leve mais além como pessoa. Ler sobre Montessori e sobre muitas outras áreas relacionadas com a parentalidade, tem operado em mim uma necessidade de mudança interior... Sinto que preciso de (re)aprender diversos aspectos da minha forma de ser para que possa ir mais além na minha forma de encarar as coisas boas e menos boas que me vão acontecendo, para ter a capacidade de viver de forma diferente a relação com os que me rodeiam e, acima de tudo, ser a melhor pessoa a quem o meu filho possa dar a mão e caminhar lado a lado. 

Nisto, entra também este cantinho aqui e aquilo que eu desejo para ele no ano que se aproxima rapidamente. Quero que seja construído de partilhas sinceras, de aprendizagens,  de evolução e de muito amor. Quero continuar a minha caminhada em Montessori gostaria mesmo de a poder levar a um outro nível. Esteja finalizada toda a imensa responsabilidade associada a estar a terminar um doutoramento e ao desejo de criar algo de inovador para que me possa dedicar a esta nova paixão que pincela, cada vez mais, a minha forma de estar. 

Tenho um sonho também de seguir uma vida mais simples, seguindo aquele velho lema do menos é mais... Poderei eu chegar ao nível de uma vida minimalista? Não sei... O que posso dizer é que, no meio de todas estas divagações que enchem a cabeça da Happy Mom descomplicada,  grande é o desejo de acreditar que posso mudar e, acima de tudo, que posso contribuir para a mudança de com quem comigo se cruza. 

Esta mudança,  grandemente mental e interior, é possível.  Quero acreditar que sim! Não,  está longe de ser uma resolução de ano novo que aqui escrevo... Trata-se de algo que venho a amadurecer a pouco e pouco para poder ir mais longe... E vou conseguir!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Mãe... A que nos compreende melhor do que ninguém!

Hoje é um dia especial. Hoje faz anos a mulher que me deu vida. Hoje faz anos a mulher que é o meu exemplo, que me dá a força sempre que preciso, que sempre foi e é o meu porto de abrigo e que me compreende melhor do que ninguém. Hoje, passados quase dois anos desde que fui mãe, compreende ainda melhor a minha. É o ciclo normal da vida que nos faz olhar para o que nos acontece de forma diferente e que nos dá a sabedoria necessária para percebermos que muitas das coisas que as nossas mães nos diziam, tinham a sua razão de ser e não pretendiam apenas ser algo para nos contrariar. Hoje é um dia especial. As palavras serão sempre poucas para expressar aquilo que sinto e que me penso da minha mãe. Parece que, frente a frente, nem sempre é fácil dizer o que sinto. Acaba sempre por ser mais fácil para mim escrever do que dizer por isso não quero que fique nenhuma palavra por escrever para mais tarde mostrar a esta mulher que é o meu exemplo. Como todos os anos, hoje será o dia em que