Avançar para o conteúdo principal

Sono dos bebés... Utopia e realidade

O sono dos bebés (e a nossa privação dele) é, de longe, um dos assuntos que mais nos preocupa desde que somos pais. Quanto mais não seja pela famosa pergunta que todos nos fazem assim que nos vêem: "Então já dorme a noite toda?".
Ora bem... Ainda a criança tem umas horas fora da nossa barriga e já todos querem que ela tenha os nossos horários e a nossa consciência do dia e da noite. A nossa memória não permite mas se conseguíssemos recuar até ao tempo em que éramos bebés rapidamente iríamos ver que levamos o nosso tempo até brindarmos os nossos pais com uma noite completa. A nossa sociedade está sempre a querer apressar as coisas e a querer reger-se dentro de dados limites e cânones aceites por todos (ou não seria ela uma sociedade...) mas nestas coisas de bebés rapidamente percebemos que não existem regras ou receitas infalíveis para o que quer que seja.
E é aqui que chegamos à minha sugestão de leitura... Tinha eu sido mãe há muito pouco tempo e uma amiga falou-me em alguns livros que tinha lido durante a gravidez, especificamente os da Constança Cordeiro Ferreira. Para os mais desatentos, a Constança é conhecida pela Fada dos Bebés pela sua capacidade em compreender estes pequenos seres humanos recém chegados ao nossos mundo e por ajudar a família a compreenderem melhor as suas necessidades e a ultrapassar as dificuldades dos primeiros tempos. A minha amiga recomendou-me o livro "Os bebés também querem dormir", não porque o meu filhote me estivesse a "dar água pela barba" mas sim porque me poderia ajudar nos primeiros tempos, principalmente o primeiro trimestre de vida. Para muitos, estes três primeiros meses de vida do bebé, também designados pro exterogestação, correspondem a um período de adaptação do bebé ao meio exterior e em que, muitas vezes, ele ainda pensa estar dentro da barriga da mãe. São três meses de adaptação também para os pais, em que todas as ajudas são bem vindas.
Li este livro já depois do meu filhote nascer mas gostaria de o ter lido ainda grávida. Desmistifica um conjunto de questões desde o nascimento a fase das famosas cólicas e explica-nos que não estamos sozinhas naquilo que estamos a passar enquanto casal e família. Milhares de casais já passaram pelas mesmas dificuldades e temos apenas de aprender a ouvir os nossos bebés. Não estou a falar de estarmos atentos ao seu choro ou a outros sons mas sim a ter a capacidade de compreender o que eles nos dizem mais profundamente.
Recomendo esta leitura a todos os futuros pais, de primeira viagem ou não. Tenham este livro por perto, anotado, com posts its. Marquem-no à vossa maneira e, acima de tudo, ouçam atentamente esse pequeno ser que têm diante de vós e que tanto tem para vos mostrar. Este livro não é uma receita infalível para se ser pai. Aliás, engane-se quem lê livros em busca de aprender a ser pai ou mãe. Mas que nos abre os horizontes para determinadoa aspectos isso sim. Torna-nos mais conscientes e despertos e isso é fundamental para viver a parentalidade de uma outra forma.
Boas leituras!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Casar: recordar um dia tão especial!

Casamento. Aquele momento especial na vida de qualquer casal e que se deseja que seja único para toda a vida. O casamento pode ser mais ou menos tradicional mas é um momento que marca e que queremos que seja inesquecível para nós e para os nossos convidados. Desde o momento em que acontece o pedido, a cabeça (normalmente, da noiva) começa a fervilhar com mil e uma ideias para colocar em prática e a ansiedade e o stress vão aumentando exponencialmente com o aproximar da data.  Mas perguntam vocês? Porque estou eu a falar de casamentos num blog que é muito mais baby blog que outra coisa? Para quem não sabe, o meu casamento aconteceu no dia em que o meu filho fez um ano. Com o segundo aniversário do baby boy e o primeiro aniversário de casamento quase aí, estou em modo lamechas a recordar tudo o que foi preparar este dia, que foi tudo menos convencional. Querem saber como tudo aconteceu? Conforme já vos disse, o meu casamento não foi de todo tradicional. Não foi um casamento

Crescer, desenvolver... Construir uma casa desde os alicerces!

Para quem se dedica ao estudo da Psicologia, Comportamento Organizacional ou Recursos Humanos, a pirâmide das necessidades de Maslow não deve ser totalmente desconhecida. Abraham Maslow, um psicólogo americano que trabalhou no famoso MIT, desenvolveu uma teoria de personalidade assente numa hierarquia de necessidades, segundo a qual afirmava que cada ser humano necessitava, patamar a patamar, de satisfazer um conjunto de necessidades de um tipo antes de poder satisfazer necessidades de outro tipo. Fonte: Laudon Online Olhando bem para esta pirâmide, vemos que temos de passar pelos diversos patamares até conseguirmos atingir sentimentos de autoestima e de realização pessoal, sendo fundamental para os quais vermos satisfeitas as necessidades mais básicas como seja a alimentação, aspectos fisiológicos do nossos organismo, ter uma casa, um emprego e uma família. Será que esta pirâmide não poderá estar presente em outros campos, com as devidas adaptações? Não teremos nós, por

Quarto de bebé: o nosso pequeno mundo!

Durante a gravidez e mesmo depois de sermos mães, o quarto do bebé deve ser um dos locais onde passamos mais tempo e um dos quais dedicamos maior atenção na nossa casa. Se durante a gravidez, a preocupação é decorar o quarto com todos aqueles pequenos detalhes que o tornem especial e único (sem que isso seja, obrigatoriamente, sinónimo de funcionalidade), depois de sermos mães e de percebermos aquilo que o nosso bebé e nós precisamos para as diferentes parte do dia, o quarto de bebé acaba por ir sofrendo algumas adaptações ao longo do tempo. O tema do quarto de bebé não é novo aqui no blog. Se a memória não me falha, já escrevi por aqui sobre pequenas sugestões para criar um refúgio para crianças felizes , já me inspirei na IKEA Portugal para vos dar sugestões de como criar um ambiente preparado Montessori-friendly no quarto dos mais pequenos e já escrevi também por aqui sobre como não deve faltar muito para haver algumas mudanças no quarto do baby boy neste início de 2018 . Passa